"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



segunda-feira, 13 de setembro de 2010

O Homem e sua Identidade

O homem foi criado à imagem e semelhança de Deus: “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.” (Gênesis 1.26-27). Neste sentido, queremos destacar três características da natureza essencial do gênero humano que o identifica com Deus.

1. O homem foi criado para SER:

A identidade do homem se relaciona na forma de como ele foi criado para receber os atributos da natureza divina. Expulso do Éden, perdeu este direito, tornando-se alheio à vida de Deus (Gn 3.22-24). “obscurecidos de entendimento, alheios à vida de Deus por causa da ignorância em que vivem, pela dureza do seu coração” (Efésios 4.18).

2. O homem foi criado com a capacidade de INTEGRAR:

Algumas definições da palavra integrar nos ajudam na compreensão desta capacidade potencial do ser humano: Tornar inteiro, completar, juntar-se tornando-se parte, incorporar-se, etc. A divindade completa, inteira, justa, é uma unidade composta de três pessoas: O PAI, O FILHO e o ESPÍRITO SANTO (Mt 28.19; “A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vós.” (2ª Coríntios 13.13), que habita corporalmente na pessoa do Senhor Jesus Cristo “porquanto, nele, habita, corporalmente, toda a plenitude da Divindade.” (Colossenses 2.9). Desta maneira, podemos compreender a unidade da igreja em Cristo com o Pai (Jo 17.21-23; “porque, por ele, ambos temos acesso ao Pai em um Espírito.” (Efésios 2.18).

3. O homem foi criado com a capacidade de COMUNICAR:

Comunicar fala de relacionamento. Seguem algumas definições da palavra comunicar: Fazer saber, tornar comum, participar idéias, pensamentos, desígnios e propósitos, transmitir, difundir, estabelecer comunicação, entendimento, conversação, etc.
A palavra é o elemento chave da comunicação. Ela transmite o que somos. “O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.” (João 6.63).
O homem e a sua identidade, portanto, se revela propositalmente naquilo para o qual ele foi criado para SER em Deus, em UNIDADE, como povo de Deus e despenseiro (comunicador) de sua sabedoria: “A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo e manifestar qual seja a dispensação do mistério, desde os séculos, oculto em Deus, que criou todas as coisas, para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais, segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor.” (Efésios 3.8-11) e virtudes: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1ª Pedro 2.9).
Concluindo, notamos o propósito de Deus em fazer com que o homem encontre sua identidade para a qual foi criado. Para tornar isto uma realidade, Deus, na pessoa de Jesus Cristo se aproximou do homem e o acolheu, isto é, recebeu-o de novo em seu convívio. Esta é a natureza da justificação (Rm 4.24-25; Rm 5.1-2; Rm 8.11).