"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Fazei discípulos de todas as nações

No velho pacto Israel era destinatário exclusivo das revelações divinas, com o objetivo de abençoar todas as nações da terra (Gn 18.18). Na nova aliança a igreja assume esta condição partindo do primeiro núcleo de apóstolos, para mais tarde integrar judeus e gentios (Mt 28.18 e Ef 2.11-19).
Temos portanto a responsabilidade de alcançar todas as nações da terra para o Senhor Jesus Cristo. Este é o peso do coração de Deus, satanás não pode ficar ai enganando as nações. A igreja recebeu a grande comissão de desmascarar os principados e potestades, tornando conhecida ao mundo a mensagem apostólica: Jesus Cristo é o Senhor! Este é o primeiro passo da proclamação. O segundo passo é batizar as pessoas, identificando-as com esta nova realidade. O terceiro passo é ensiná-las à guardar todas as coisas que Jesus Cristo ensinou, isto é, mandamentos claros que as tornem parecidas com Jesus Cristo. Este terceiro passo se realiza plenamente na vida em comunidade (At 2.42), onde os discípulos de Jesus demonstram características que os tornam sal da terra e luz do mundo. Nosso testemunho portanto é eficaz quando nossa maneira de viver se encontra em harmonia com a vontade de Deus revelada na pessoa de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Este é o desafio em nossos dias.