"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Coerência!

Havia um comercial na televisão que apresentava um produto que precisava ser algo que na verdade não era. A chamada era: Parece mas não é. Há pessoas que vivem exatamente assim, de aparências. Parecem ser ricos pelos bens que ostentam: Os carros e as roupas da moda, mas na verdade estão afundados em dividas. Quem já não se enganou em relação as amizades que pareciam ser tão sinceras? Há casamentos falidos porque a vida a dois revelou que as palavras e os carinhos dos tempos de relacionamento apenas parecia alguém que amava.
No texto de 1ª João 2.1-11, encontramos fortes palavras contra a vida de aparências. Ele insiste que a vida cristã é prática e quem a vive não tem nada para esconder. Se tivesse de usar uma só palavra, João usaria: AUTENTICIDADE. Quem segue verdadeiramente a Jesus é autentico em suas ações e intenções. Quem diz que ama a Deus deve fazer exatamente o que Ele diz. O mesmo se dá em relação ao amor de uns para com os outros, debaixo da mesma fé.
É exatamente na área dos relacionamentos que encontramos o maior numero de esconderijos capazes de ocultar a verdade. Quem conhece de verdade o que está por detrás das palavras que pronunciamos, dos abraços que oferecemos, na amizade que demonstramos e das orações que dirigimos a Deus? Temos a tendência de pensar que, abrigados nas cavernas que construímos, estamos seguros. Ninguém nos descobrirá! Mas esquecemos que a vida cristã não é praticada no oculto, mas sob o foco da luz que é a palavra de Deus. Quanto mais luz, mais revelará o que está em nosso interior.
Deus demonstrou a autencidade de seu amor enviando Jesus ao mundo. Não há prova mais concreta do amor que está no coração d’Ele. E o Senhor deseja que nós também vivamos a autencidade do evangelho.
Nada mais coerente para quem diz que anda com Deus!