"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



sábado, 5 de novembro de 2011

Como é bom poder simplesmente dizer: “Ta doendo”

“Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? (Salmos 42.5a).
Precisamos entender que em tudo somos dependentes do Senhor. E há momentos em nossas vidas que esta dependência se torna muito maior! É quando enfrentamos as dificuldades e problemas, que se levantam em nossas vidas, onde nos vemos confusos e aflitos. E estranhamente nos vemos emocionalmente abatidos. Em meio a esta situação de caos, soa como um canto de esperança a resposta do salmista ao seu lamento: “Espera em Deus, pois ainda o louvarei na salvação da sua presença.” (Salmos 42.5b).
O Senhor apruma todos os prostrados (Salmos 145.14), ou a afirmação de que o Senhor levanta os abatidos (Salmos 146.8). Por que estou tão triste? Por que estou tão aflito? Eu porei a minha esperança em Deus e ainda o louvarei. Ele é o meu Salvador e o meu Deus. Esta seria a resposta que Deus esperaria de nós em meio as nossas angustias. Mas ainda colocamos nossas expectativas na medicina, na psicologia, psicoterapias... Por acharmos que nossos problemas são complexos demais e insistem em não nos deixar. E nos esquecemos de buscar em Deus resposta para nossas queixas, o salmista buscava em Deus por meio de orações precisas, tais como: “Cura-me” – “Descomplica-me” – “Liberta-me” – “Desamarra-me.” Precisamos nos derramar, deixar fluir do meio de nossas feridas nosso lamento. Nossas orações têm que ser precisas, nos colocar aos pés do Senhor e declarar a nossa dor. Quanto mais precisa for a nossa suplica, melhor será a sua eficácia.
Gosto de sempre lembrar aos irmãos, que Jesus não dava ênfase aos milagres, Ele não estava preocupado apenas com a multiplicação de pães e peixes, ou apenas com a cura de cegos, mudos, paralíticos e leprosos. Ele se preocupou também com aqueles que carregavam dentro de si cargas demasiadamente pesadas e difíceis de carregar (Mateus 11.28). O Senhor Jesus sabe muito bem o que é tristeza, sabe o que é angustia, pois no Getsêmani ela as enfrentou: “A minha alma está profundamente triste até a morte...” (Mateus 26.38). Amados, o Senhor nos encoraja a buscá-lo, achegar-se a Ele com o coração quebrantado e pedir Sua ajuda. Ele se compadece de nossas angustias. É como diz o autor do livro aos Hebreus: “Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna.” (Hebreus 4.15-16).

No amor de Cristo.