"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



domingo, 5 de fevereiro de 2012

Um chamado universal

“Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura...” Marcos 16.15-20.  As boas novas é uma das palavras favoritas de Marcos. Ele a usa sete vezes em seu escrito (1.1, 14, 15; 8.35; 10.29; 13.10 e 14.9). Para Marcos a vida de Jesus é a boa nova a ser proclamada. O evangelho é a mensagem de que Deus está agindo por meio de Jesus, seu Filho, trazendo libertação ao cativo, quebrando o poder do diabo, do pecado e da morte. Pela pregação do evangelho temos anunciado ao mundo que em Jesus o curso da historia tem sido mudado. Jesus pela sua morte e ressurreição estabeleceu o reino de Deus. Isso é a grande boa nova do evangelho.
O evangelho precisa ser pregado 
16.15 E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.
O verbo pregar é outra palavra muito usada por Marcos em seu escrito. Marcos não enfatiza somente os milagres de Jesus, mas afirma que Cristo veio pregando (1.14), por isso destaca a primazia do ministério de pregação de Jesus (1.38).
Amados, algo a destacar aqui é que embora Jesus tenha se ocupado em atender as necessidades físicas das pessoas, Ele focou primeiramente as necessidades espirituais. Jesus chama a seus discípulos para pregar (3.14) e os enviou a pregar (6.12). Jesus nos tem chamado e desafiado a pregar o evangelho. Deixa-me dizer algo a você: Hoje, estar calado é um perigo maior que a perseguição. O evangelho só é as boas novas se for compartilhado.      
O proposito de Deus é que o evangelho seja anunciado a todos, em todo o tempo e lugar, a toda criatura. Nós como corpo de Cristo precisamos ser luz as nações. Um discípulo que não evangeliza precisa ser evangelizado. A pregação do evangelho é um mandamento que precisa ser obedecido. O mundo precisa do evangelho e a salvação do evangelho precisa ser oferecida livremente a toda criatura.
O evangelho precisa ser recebido
16.16 Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado.
O evangelho se torna uma boa nova, somente quando é recebido e experimentado. É preciso crer no evangelho! A palavra de Deus é como uma espada de dois gumes, ao mesmo tempo em que traz vida, também sentencia a morte. Quando Paulo diz que somos o bom perfume de Cristo, ele nos ensina que há vida e morte na pregação do evangelho. Ninguém pode ficar indiferente ou neutro a mensagem que o evangelho proclama. Aos que recebem as boas novas a um cheiro de vida para a vida, porém, àqueles que rejeitam as boas novas é cheiro de morte para a morte. Aquele que crer e for batizado é introduzido a vida de comunhão e unidade da família da fé. A descrença, porém, traz condenação. É a rejeição à Cristo, que traz condenação eterna. Jesus foi muito claro a respeito deste tema: João 3.36 “Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna; o que, todavia, se mantém rebelde contra o Filho não verá a vida, mas sobre ele permanece a ira de Deus.”
O evangelho precisa ser confirmado
16.17 Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome, expelirão demônios; falarão novas línguas;
16.18 pegarão em serpentes; e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal; se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados.
Os sinais não estão vinculados a cargos ou funções ministeriais, mas em primeiro lugar a fé em Deus. E em segundo lugar Jesus esta afirmando que os sinais acompanham aos que crêem. Podemos então entender que os sinais acompanham os discípulos em sua tarefa de pregar o evangelho.
Marcos enfatiza que quando pregamos a mensagem do evangelho, o próprio Deus confirma esta mensagem com a manifestação do seu poder (1ª Co 2.4 e 1ª Ts 1.5), transformando vidas, atraindo pessoas e curando relacionamentos e feridas. A vida cristã é vivida na presença e no poder do espirito de Cristo.
Concluindo, os discípulos partiram e pregaram o evangelho por toda parte. O Senhor cooperou com eles confirmando a palavra por meio de sinais e maravilhas. A pregação foi realizada com palavras e poder, a mensagem foi pregada aos ouvidos e também aos olhos. Esses discípulos, revestidos com o poder do Espírito Santo, mesmo perseguidos, empobrecidos e despojados de influências politicas e militares, empunharam a bandeira do evangelho, proclamando com autoridade a mensagem do reino de Deus e conquistaram vidas e nações com o poder do evangelho de Jesus Cristo.