"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



segunda-feira, 4 de junho de 2012

O Ajuntamento do Povo de Deus

“Todos os que creram estavam juntos...” (Atos 2.44).
A natureza da fé cristã implica em ajuntamento. Nesta mensagem queremos destacar a importância do ajuntamento dentro do relacionamento na casa de Deus. As festas judaicas (Pascoa, Pentecostes, Tabernáculos – Êxodo 23.14-19 e Levítico 23.14-21), demonstram esta realidade do ponto de vista divino.
     ·        O tempo e o lugar previamente definidos (Gn 18.14 e Ex 16.1-4)
            a.     Gênesis 18.14
“Acaso, para o SENHOR há coisa demasiadamente difícil? Daqui a um ano, neste mesmo tempo, voltarei a ti, e Sara terá um filho.”
“Neste tempo” – A palavra no hebraico é Hôlal, significando apontar, designar, nomear e o lugar definido. Ocorre 223 vezes no Velho Testamento. O tempo que Abraão teria que esperar era 1 ano. Abraão deveria estar preparado para este tempo determinado. O Novo Testamento nos conclama a esperar a vinda de Jesus Cristo, indica as condições reinantes, nos exorta a vigiar porque Ele virá novamente no tempo predeterminado pelo Pai.
             b.     Êxodo 16.1-4
“Partiram de Elim, e toda a congregação dos filhos de Israel veio para o deserto de Sim, que está entre Elim e Sinai, aos quinze dias do segundo mês, depois que saíram da terra do Egito. Toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e Arão no deserto; disseram-lhes os filhos de Israel: Quem nos dera tivéssemos morrido pela mão do SENHOR, na terra do Egito, quando estávamos sentados junto às panelas de carne e comíamos pão a fartar! Pois nos trouxestes a este deserto, para matardes de fome toda esta multidão. Então, disse o SENHOR a Moisés: Eis que vos farei chover do céu pão, e o povo sairá e colherá diariamente a porção para cada dia, para que eu ponha à prova se anda na minha lei ou não.”
“Congregação” – A palavra hebraica para congregação é Edhã. Ocorre 149 vezes no Velho Testamento, significando um grupo de pessoas por virtude de nomeação. Deus nomeou especificamente os filhos de Israel, com o propósito de viajar do Egito à Canaã com dias e mês definidos. O povo murmurou (vs. 2 e 3). A benção de Deus galardoando a obediência vemos no versículo 4. Deus faria chover pão do céu para alimento diário do povo, provando assim sua obediência ou não à sua lei (Comparar Deuteronômio 8.1-3 com João 6.33).  
            ·        O ajuntamento para ouvir e obedecer a Deus (2 Sm 20.14)
“E passou por todas as tribos de Israel até Abel-Bete-Maaca e a todos os beritas; e ajuntaram-se todos e também o seguiram.” (2 Samuel 20.14.)
“Ajuntarem” – A palavra hebraica é Gahal. Ocorre 123 vezes no Velho Testamento, é a palavra que mais traduz o conceito de Igreja no Velho Testamento (Cf. Atos 7.38). No texto de Samuel, o povo foi reunido para guerrear (comparar com Efésios 6.10-18). O conceito de Gahal fala de um povo conclamado para ouvir e obedecer a Deus.
           ·        Proposito do ajuntamento definido por Deus (Is 1.13 e Am 5.21).
                  a.     Isaías 1.13
“Não continueis a trazer ofertas vãs; o incenso é para mim abominação,
e também as Festas da Lua Nova, os sábados,
e a convocação das congregações; não posso suportar iniqüidade associada ao ajuntamento solene.” (Isaías 1.13).
                   b.     Amós 5.21
 “Aborreço, desprezo as vossas festas e com as vossas assembléias solenes não tenho nenhum prazer.” (Amós 5.21).
“Ajuntamento.” – Nestes textos, a palavra para ajuntamento é Acereth. Significando restringir, limitar, confinar. Deus tem um propósito para o ajuntamento que limita, restringe, confina a determinadas pré-condições: O ajuntamento é para testemunho de justiça (Isaías 1.17 e Amós 5.24). A religiosidade que não implica em justiça deve ser abolida do ajuntamento solene (Isaías 1.14-15; Amós 5.11-12 e Amós 5.22-23). O ajuntamento solene elimina as desigualdades sociais (Gálatas 3.28-29; Tiago 2.1-13 comparar com Atos 4.32-34).
Sendo assim, não de somenos importância a exortação de hebreus 10.24-25:“Consideremo-nos também uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras. Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns; antes, façamos admoestações e tanto mais quanto vedes que o Dia se aproxima.”