"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



quinta-feira, 7 de junho de 2012

A obra de Deus

“Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3.16).  
Deus em Sua obra salvifica se identifica inteiramente conosco em nossa situação existencial presente, com o objetivo de nos conduzir ao estado eterno:
·         Ele nos amou;
·         Ele deu Seu Filho; e,
·         Ele nos dá vida eterna.
Disso tudo, podemos inferir que a ação de Deus em nosso favor não é fria, insensível, dissociada de nossa realidade; nem é impessoal e desproposital. Ela envolve doação, identificação e relacionamento, que começou antes da fundação do mundo, “Ele nos amou...” Atinge nosso estado atual, “...nos deu Seu Filho...” E se estende por toda a eternidade “...mas tenha a vida eterna.”
A obra de Deus é fruto de Seu amor por nós
Deus não é insensível a nossa realidade e necessidade. “Ele nos amou...” O apostolo João tenta qualificar o amor de Deus, mas não encontra palavras. Por isso usou a expressão “de tal maneira” associando esse amor a doação do filho. Esta deve ser a nossa experiência pessoal com Deus e com as pessoas do mundo, objeto deste mesmo amor. Este amor da evangelização é também o amor através do qual seremos reconhecidos como discípulos de Jesus (“Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros.  Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.” Jo 13.34-35).
A obra de Deus se expressou em doação sacrificial
“...que deu o seu Filho unigênito...” A ação de Deus também não é impessoal. Deus veio a nós na pessoa de Seu Filho (Jo 1.1, 14). Cristo está em nós e conosco na evangelização e no discipulado (Mt 28.18-20). A encarnação do verbo foi o primeiro ato redentivo de Deus seguido de Sua vida, obra, ensinos, morte, ressurreição, ascensão e dádiva do Espírito Santo.
A obra de Deus é proposital
“Nos concede vida eterna através do Filho” Deus não só nos amou, Ele nos concede a vida que está em Seu Filho para aquele que n’Ele crê (“Por isso, quem crê no Filho tem a vida eterna...” Jo 3.36).
Sendo a obra de Deus fruto do Seu amor por nós e que se expressou em doação sacrificial de Seu próprio Filho:
·         Como responderemos nós a este amor?
·         Qual é nossa disposição em nos envolvermos na obra de Deus em resposta a este amor?
·         É possível manter a neutralidade, a indiferença se fomos alcançados por esta qualidade de amor?
A resposta a estas questões esta conosco: “Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações...” (Mt 28.19).