"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



quarta-feira, 1 de agosto de 2012

7º Congresso do CONPLEI


7º Congresso do CONPLEI (Conselho Nacional de Pastores e Lideres Evangélicos Indígenas).
Realizado entre os dias 18 a 22 de Julho na cidade de Chapada dos Guimarães-MT.
O evento foi algo que somente Deus pode ter explicações algo que, humanamente pensando, somos incapazes de realizar. Só o poder de Deus é capaz de realizar as maravilhas que vemos acontecer no meio dos povos indígenas do nosso querido Brasil.
Vemos claramente que Deus está trabalhando de forma incisiva na nossa própria história, quebrando as barreiras que foram criadas (entre índio e branco) pelos colonizadores que aqui chegaram nos meados do século XV com interesse econômico e brutalmente saquearam as riquezas desta terra ao ponto de dizimarem populações inteiras, etnias, povos e línguas que foram extintos para sempre da terra como os Tupinambás, Guaicurus etc. Povos que habitavam essa terra desde tempos imemoriais.
Quinhentos e doze anos já se passaram, muitas coisas mudaram desde aquela época, mas as marcas do passado deixadas na história dos povos indígenas ainda precisam ser curadas, a auto estima reconstruída a identidade recuperada. O povo de Deus tem o importante papel de proclamar e ensinar o caminho. O CONPLEI 2012 mostrou que isso é possível que não precisamos cultivar aquilo que o Diabo semeou: que índio é violento, selvagem, incapaz etc. Está nascendo a IGREJA EVANGELICA GENUINAMENTE INDIGENA , os povos indígenas podem e devem pensar que a igreja somos nós, são pessoas não são denominações, organizações, mas são cada povo, cada etnia.


Vejo que o futuro dos povos indígenas está no conhecimento do Evangelho de Jesus. Durante o congresso foi muito falado sobre o trabalho em parceria, um ajudando o outro, carregando a carga do outro, porque assim é a igreja, isso é o Reino de Deus. A igreja brasileira tem uma divida muito grande com os povos indígenas principalmente porque o passado precisa ser curado, se existe hoje ignorância por parte dos não indígenas é porque todos contribuíram para isso, inclusive as igrejas. Os indígenas sempre viveram tutelados pelo governo, desde a criação do SPI (Serviço de proteção ao Índio) e posteriormente a FUNAI que reproduziu basicamente o modelo do SPI, mudaram os nomes, mas as pessoas e mentalidade eram os mesmos. Durante muito tempo os direitos indígenas
foram ignorados, suas vozes caladas. Até os anos 80 pensava-se que bastava o índio saber ler e escrever e realizar as quatro operações básicas da matemáticas, mas em 1988 com a nova constituição os indígenas ganharam espaço e desde então muita coisa mudou
Hoje, embora com situações adversas a escola de ensino fundamental e médio está presente na aldeia com o quadro de professores 100% indígenas, o atendimento básico de saúde é realizado por agentes exclusivamente indígenas, existe projetos autossustentável em andamento em diversas comunidades etc... A cada ano mais indígenas estão ingressando nas faculdades de todo o país.
Existem muitos avanços. Em meio a tudo isso, sabe quem está melhor na foto? São os irmãos indígenas evangélicos que com a sabedoria e a graça de Deus tem aproveitado melhor essas oportunidades e devido a seu bom testemunho ganham a confiança e o respeito nas comunidades.
É preciso que haja investimento da igreja nos jovens indígenas, pois eles estão presente nas cidades na faculdade, nos mercados, hotéis e restaurante, convivendo entre os não indígenas, mas parece que ninguém os enxerga, e preciso que isso mude ! Precisamos trabalhar isso queridos! A igreja precisa cuidar para não reproduzir o preconceito que o mundo prega porque somos um em Cristo, a parede de separação já foi derrubada por Cristo (Gl 3.26-28). Há muitos jovens indígenas sozinhos nas grandes cidades carentes de apoio espiritual. A solidão e o próprio sistema do mundo tem afastado os jovens do caminho de Deus, muitos desistem pela falta de estrutura. O CONPLEI nasceu com a visão de que “POSSO SER QUEM VOCÊ É SEM DEIXAR DE SER O QUE SOU”, isso quer dizer que eu enquanto indígena posso ter o conhecimento as tecnologias as melhorias o desenvolvimento sem abrir mão da minha identidade cultural, pois Deus me criou índio para glorificá-lo como índio.
Entre os dia 18 a 22 de julho era emocionante ver uma plateia cheio de pessoas diferente, as vezes nem entendendo o português, mas estavam ali porque sentiram o chamado de DEUS , algo especial estava acontecendo, era a presença do Espírito Santo se movendo em meio a uma pequena multidão, 100 povos étnicos mais de 15 países ao redor do mundo, cantando, dançando de formas diferentes mas todos unidos num só amor num só espírito.
Continue na visão a Igreja somos nos VOCÊ E EU! Quero agradecer as igrejas e irmãos que se evolveram diretamente e indiretamente pela realização do evento. Em nome do CONPLEI muito obrigado que Deus continue falando com cada um dos irmãos.

ALÂ WAO IWERÂ IPEMUGU ÂMÂ KUWÂ INÂINÂ.

Por Edson Bakairi.