"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Praticando coisas boas!


“Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia...” (Hebreus 10.25).
“Posso servir a Deus do meu jeito, não preciso ir à igreja!” Esse é um pensamento bastante comum. E é verdade no sentido de que todo indivíduo pode adorar e louvar a Deus por si mesmo. Mas a Bíblia não nos transmite a idéia de “ilhas cristãs”. De fato, ela nos afirma justamente o contrário. Quer reconheçamos ou não, gostemos ou não, precisamos uns dos outros. Poder ser que o santo que menos pareça ter importância seja exatamente o escolhido de Deus para suprir uma necessidade em sua vida.
Quando
nos reunirmos com outros discípulos, seria uma boa prática perguntarmos ao Senhor a quem podemos encorajar. Talvez indaguemos qual o objetivo de sair de casa para irmos às reuniões. Porém, a pergunta certa seria: VOU SAIR DE CASA PARA ABENÇOAR QUEM? De acordo com Hebreus 3.13, deveríamos praticar sempre essa forma de encorajamento: “Exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje.”
Vivemos em uma época na qual temos inúmeras maneiras de entrar em contato com os outros. Telefone, mensagens eletrônicas, celulares, facebook e
diversas oportunidades baratas de estar em contato com nossos irmãos na fé. Como é maravilhoso receber um telefonema inesperado ou um simples e-mail e saber que alguém está orando por nós! É isso o que o escritor de Provérbios nos lembra quando escreve: “Como água fresca para a alma cansada, tais são as boas novas vindas da terra distante” (25.25), e “A ansiedade no coração deixa o homem abatido, mas uma boa palavra o alegra” (12.25).
Você é do tipo de pessoa que alivia o fardo dos outros ou os sobrecarrega? Você percebe que: “...as palavras suaves são favos de mel, doces para a alma, e saúde para os ossos” (16.24)?