"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Você é alguém a quem Deus usa?


A maior necessidade do mundo é de homens e mulheres que sejam usados por Deus. Deus não unge métodos, unge homens. O mundo não está carecendo de melhores métodos, mas de pessoas melhores. Pessoas com o coração rendido a Cristo e seu propósito.
A Bíblia (em Lucas 3.1-7) nos mostra a vida de um homem que marcou sua geração. Havia 400 anos que a nação de Israel estava sem ouvir a voz de Seu criador. Depois de um longo silêncio, veio a voz do Senhor a João Batista. A voz de Deus não ecoou a João Batista no templo nem mesmo no palácio, mas no deserto. Aos olhos do mundo Deus usa gente estranha em lugares estranhos, mas João Batista não era um estranho para Deus, ele era fruto de profecia, resposta de oração, milagre do céu.
João Batista era um homem a quem Deus iria usar! João Batista tinha uma missão, o Senhor tinha um propósito para sua vida. Da mesma forma que hoje em nossos dias o Senhor nos tem chamado com uma missão, meu irmão minha irmã, Deus tem um propósito para nossas vidas: “fazer discípulos de todas as nações!!!”  Por isso, gostaria de compartilhar com vocês alguns pontos na vida de João Batista que são úteis hoje em nossa vida e caminhada rumo a cumprir o propósito a qual Deus nos tem chamado.
Por que Deus usou João Batista? 
Porque ele era uma lâmpada que ardia e alumiava: “Houve um homem enviado por Deus cujo nome era João. Este veio como testemunha para que testificasse a respeito da luz, a fim de todos virem a crer por intermédio dele. Ele não era a luz, mas veio para que testificasse da luz, a saber, a verdadeira luz, que, vinda ao mundo, ilumina a todo homem.” (João 1.6-9). 
João Batista não apenas proferia a verdade, ele era a boca de Deus. Ele falava com poder (“Porém que se diz? A palavra está perto de ti, na tua boca e no teu coração; isto é, a palavra da fé que pregamos. Se, com a tua boca, confessares Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para justiça e com a boca se confessa a respeito da salvação.” Rm 10.8-10). 
Hoje, há muitas palavras, mas pouco poder. Belos testemunhos, mas, infelizmente sem vida. A pregação de João Batista era o que ele conhecia de Deus e o que ele estava experimentando. Para levarmos a mensagem do reino de Cristo precisamos experimentá-la, conhecer a intimidade de Deus. 
Tenho um amigo que usa uma expressão que é muito real para nossa vida como discípulos: “Lata vazia é que faz barulho” é quando nos esvaziamos de tudo que é nosso e deixamos o Espírito Santo nos usar. Ai sim, vamos demonstrar o poder de Deus em nossas vidas. Não podemos estar indiferentes ao mover do Espírito Santo em nós: Não basta ser habitado pelo Espírito, mas, é preciso ser cheios do Espírito!!! 
Como Deus quer nos usar? Assim como podemos ver no texto de Lucas 3.5 o Senhor usou a vida de João Batista e assim que Ele quer nos usar:
  • Para aterrar vales: Vale é uma depressão, um buraco. Há abismos na vida do povo: Impureza, desânimo, comodismo, mundanismo. Um vale separa dois montes: falta de comunhão, mágoa, contenda, maledicência. João batista preparou o caminho do Senhor, assim o Senhor quer nos usar: aqueles o qual anunciam o evangelho do reino. O Senhor quer nos tornar engenheiros espirituais, capazes de construir estradas e pontes para o Mestre alcançar corações. E almas vazias deste mundo tão cruel.
  • Para nivelar os montes: Montes falam de orgulho e soberba. O orgulho e a soberba são montanhas que impedem a passagem do Senhor. Onde há soberba, Deus não se manifesta, pois Deus resiste ao soberbo (Tiago 4.6). Montes também falam de incredulidade. A incredulidade nos afasta de Deus e de suas bênçãos. João Batista proclama a necessidade de nivelar os montes, de passar a patrola de Deus e colocar esses outeiros abaixo. 
  • Para endireitar caminhos tortos: Caminho torto fala de duplicidade. Viver uma vida dupla. Não podemos ser impedimento para a manifestação de Cristo na vida das pessoas ao nosso redor. Não podemos professar nossa fé em Cristo e viver uma vida que não expressa Cristo em nossos atos e ações. Aqueles que professam o nome de Cristo, mas vivem como se Cristo não existisse, causam mais dano para o reino de Deus do que a vida de um ateu. Se quisermos ver a manifestação da gloria de Deus, precisamos endireitar os caminhos tortos. Deus é luz e aqueles que vivem nas trevas não podem ter comunhão com Ele. 
  • Para aplainar os caminhos escabrosos: Segundo o dicionário a palavra escabroso tem um sentido de algo oculto, diz-se de fatos ou casos esquisitos, estranhos, misteriosos, suspeitos. Caminho escabroso fala de algo que está fora de lugar. Há algo fora do lugar em sua vida? Como anda sua vida de dedicação ao Senhor? Que avaliação você faz de seu casamento? Como você tem lidado com o dinheiro? Qual é o grau de sua fidelidade a Deus em relação as suas ofertas e dízimos? João batista usou seu ministério para colocar no lugar esses terrenos escabrosos.
  • Concluindo, o Senhor nos tem chamado e nos dado uma missão: “pregar o  evangelho, fazer discípulos” A mensagem do evangelho do reino transforma vidas, como podemos ver no texto de Lucas 3, o tempo em que João Batista viveu foi marcado por uma profunda crise espiritual, nada diferente dos dias em que estamos vivendo, mas amados, não podemos esquecer que a pregação do evangelho do reino prepara o caminho para uma grande benção: Uma benção sem limites: “Toda a carne verá a salvação de Deus” (Lucas 3.6). Quando cada um de nós entendermos a nossa missão como proclamadores das verdades do reino, a graça de Cristo se multiplica e multidões vêm a Cristo. Quando aceitamos nossa missão algo tremendo e extraordinário acontece no mundo, vidas se rendem a Cristo e o declaram como senhor de suas vidas. Que em 2013 tudo possa ser diferente em minha vida, que eu possa aceitar o convite de Cristo em compartilhar com todos os que fazem parte da minha vida e do meu dia a dia a mensagem do evangelho!!!