"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

"Construindo relacionamentos significativos"

Precisamos construir relacionamentos que sejam significativos para o Reino de Deus. O relacionamento é o ingrediente mais importante para se alcançar qualquer objetivo no lar, na igreja e na sociedade. Segue alguns princípios que norteiam os relacionamentos: 
1. “A primeira relação que determina a qualidade dos relacionamentos é aquela que temos com Deus. Portanto, a relação vertical precede as relações horizontais. No texto de Jeremias 9.24, podemos ver como essa relação se processa e quais são as consequências que elas promovem: “...mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em me conhecer e saber que eu sou o SENHOR e faço misericórdia, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o SENHOR.” (Jr. 9.24).
2. “Um relacionamento não é construtivo quando ele é apenas uma construção humana e cultural não mediado por Cristo, seus ensinos e mandamentos conforme registrados nas escrituras.”
3. “Um relacionamento não é construtivo quando eu escolho os critérios para a relação. O texto de Rm 12.1-21 nos ensina que os relacionamentos devem contribuir para a edificação do corpo sem acepção de pessoas:

4. “O relacionamento não é construtivo quando ele menospreza os compromissos, as convenções e as autoridades estabelecidas em favor de uma liberdade individual e egoísta.”
5. “Um relacionamento não é construtivo quando a renúncia, o serviço abnegado, o estilo de vida simples, a doação integral da vida não se fizerem presentes na relação.”
6. “O relacionamento não é construtivo quando a liberdade como fruto da graça é negada em função de uma "liberdade" existencial e cultural.”
         7. “O relacionamento não é construtivo se a presença do Espírito Santo e a vida   de oração não se fizerem presentes.”
Concluindo, a igreja institucional organizada em denominações nunca, em tempo algum respondeu à dinâmica de relacionamentos do corpo de Cristo em sua natureza orgânica. É importante destacar que as relações ocorrem entre pessoas e não podem ser medidas por regras institucionais independentes da palavra de Deus e da ação do Espírito Santo.