"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



terça-feira, 23 de abril de 2013

O Nosso Testemunho


Todos nós precisamos de modelos para viver. Aprendemos pela observação. Quando seguimos os passos de pessoas que nos ensinam, temos em mente aprender com seus atos e exemplo. Porém, quando seguimos os modelos errados, colhemos frutos amargos, que causam muita dor e decepção.
Precisamos de referenciais, marcos que balizem o nosso caminhar diário.  Tiago em sua carta no capitulo 1 versos 19 ao 27 ele nos ensina que tem pessoas que são como um espelho em nossas vidas, pois seu testemunho edificam nossas vidas. Quando miramos no espelho vemos a nós mesmos. O espelho nos mostra quem somos e aponta-nos onde precisamos melhorar ou mudar algo em nossas vidas. É tremendo a comparação que Tiago faz aqui, pois o espelho possui algumas características que lança luz sobre este tema que gostaria de compartilhar com os irmãos neste texto. O espelho nos mostra como ser referencial para as pessoas, demonstrar a nossa fé e esperança em Cristo. 
O espelho é mudo
      O espelho é mudo e nos mostra quem realmente somos não pelo som, mas através da imagem. Ele não fala, ele revela. Não faz barulho, mas nos leva a refletir. Assim deve ser o nosso testemunho, mais visível que audível. Ele precisa ser visto por aqueles que estão perto de nós, na vida do lar, no trabalho, na escola, enfim, por onde passamos as pessoas precisam ver Cristo em nós. Não podemos confessar a Cristo somente com palavras, mas, sobretudo com vida e com exemplo. O exemplo não é apenas uma forma de ensinar, mas a única forma eficaz (Jesus ensinava com seu exemplo - Atos 1.1).
O espelho deve ser limpo
      Um espelho sujo e embaçado não reflete a imagem que precisa ser vista. Há um perigo quando tentamos viver uma vida dupla, quando usamos mascaras e tentamos viver como um ator representando uma falsa esperança, tentando falar uma coisa e vivendo outra na realidade. Criando assim um abismo entre o que confessamos e o que praticamos. Amados, precisamos ter zelo por nosso testemunho, pois quando nossos atos reprovam nossas palavras, podemos ser como um médico que começa uma cirurgia sem fazer assepsia das suas mãos. Agindo assim, podemos deixar pessoas confusas e decepcionadas. Quando nossas vidas não refletem aquilo que pregamos (Tiago 1.23-24).
      Vivemos em meio a uma sociedade que carece de modelos. As pessoas não estão buscando a verdade que liberta, mas algo que funcione para o que ela está precisando naquele momento. Não podemos pregar aquilo que as pessoas querem ouvir, mas precisamos anunciar o evangelho do Reino que as leve ao arrependimento. Dar ênfase as curas, milagres e prosperidade não é o evangelho da cruz de Cristo.  O resultado destas ênfases é que o povo de Deus tem perecido por falta de conhecimento e de padrões: O espelho está embaçado!!!
O espelho precisa ser plano
      Um espelho torto distorce e altera a imagem. As pessoas precisam ver em nós a face de Cristo. Não podemos cair no erro de criticar e combater em publico, aquilo que praticamos em secreto. Não podemos condenar nos outros, aquilo que o Espírito Santo tem trabalhado para tirar de nossos corações (Mateus 7.1-5). Quanto mais amada for uma pessoa, maior poderá ser a dor se ela destruir com suas próprias mãos o referencial em que ela investiu toda uma vida para ensinar alguém. Vivemos uma crise de referencial, falta modelos em nossa sociedade. Por isso não vemos transformação na vida das pessoas.
      Concluindo, o espelho precisa ser iluminado. Sem luz podemos ter o espelho e a imagem, mas mesmo assim os olhos não conseguem ver. Deus é luz! Sua palavra é luz. Sempre que nos afastamos daquilo que Deus tem para nossa vida, a luz se apaga e erramos o alvo. O Senhor nos chama para sermos luz na vida de pessoas, referencial de vida e louvor a Deus. Para que todos aqueles que ainda não conseguem ver o caminho possam olhar para nossas vidas e ver Cristo e sua glória. Quando somos um graveto seco que pega o fogo do Espírito Santo, até a lenha molhada e verde se queima!