"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



segunda-feira, 14 de março de 2011

Japão!

O mundo está com os olhos voltados para o Japão e os últimos acontecimentos catastróficos. Poucos segundos são suficientes para mudar a história de uma nação e do mundo inteiro.
Quando acontece algo assim, notamos nossa pequenez e como carecemos do amor e cuidado do Pai.
Os corações humanos são sensíveis, por isso não podemos ficar indiferentes a tudo o que esta acontecendo ao nosso redor. Tempestades, enchentes, terremotos e tantos outros acontecimentos, ainda assim, vemos a generosidade se espelhar por todos os países, em socorro as vitimas.
Todos estes acontecimentos são mais um alerta para cada um de nós. A vida é mesmo frágil e somos totalmente dependentes do amor de Cristo. Por isso, precisamos refletir para que possamos viver de tal maneira, como se, daqui a vinte segundos, o chão de nossos pés não exista mais. Que a graça de cristo seja presente em nossos corações e em nossas orações e suplicas diárias em favor dos familiares e das vitimas destas catástrofes.
No amor de Cristo, Chico.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Viver para a glória de Deus

“Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” (1ª Co 10.31). Vivemos para glorificar a Deus e desfrutar d’Ele para sempre. Deus é mais glorificado em nós quanto mais nos deleitamos n’Ele. Deus é tremendamente feliz. Sua felicidade é o prazer que tem em si mesmo. Antes da criação Ele se alegrava na imagem de sua glória na pessoa de seu filho (Jo 17.5, 24). Depois se alegrou na obra da criação e da redenção. E essa obra alegra o coração de Deus porque refletem Sua glória (Ef 1.6, 12 e 14).

Deus e não os nossos interesses deve ser o centro da nossa vida. Vivemos para Ele e não para nós mesmos. Fomos criados para o Seu louvor, criados, sustentados, remidos, abençoados e galardoados por Ele. Qualquer outro propósito na vida que não seja a glória de Deus está fora do foco. O texto de Paulo deixa muito claro: “comemos e bebemos para a glória de Deus.” Trabalhamos e descansamos para a glória de Deus. Casamos e permanecemos casados para a glória de Deus. Constituímos família e educamos os filhos para a glória de Deus. O Senhor se alegra em nossas vidas como o noivo se alegra com sua noiva. Somos seus filhos herdeiros, somos herança de Deus, a menina dos olhos do Senhor, um poema em suas mãos.
Então como podemos glorificar a Deus?
Fazendo as coisas comuns do dia a dia para a glória do Pai (1ª Co 10.31)
Todas as coisas tem um significado quando as fazemos por meio de Deus e para a sua glória. Comer, beber, trabalhar, estudar ou qualquer outra coisa torna-se um louvor para a glória do Pai, quando compreendermos que fomos criados em Cristo Jesus para as boas obras. Quando praticamos as boas obras para as quais fomos formados, o nome de Deus é glorificado. Lutero dizia que devemos caminhar na estrada que nos liga do dia a dia ao santuário na mesma devoção. Precisamos resgatar o princípio bíblico que nos ensina que tudo o que fazemos, fazemos em nome de Cristo (Cl 3.17) e para a glória de Deus (1ª Co 10.31).
Deixa-me exemplificar isto: O agricultor no campo semeia, rega e colhe para a glória de Deus. O professor ensina para a glória de Deus. O medico cuida de seus pacientes para a glória de Deus. O comerciante vende seus produtos e atente os seus clientes para a glória de Deus. Não podemos fazer diferença entre o zelo que prestamos a Deus em nosso dia a dia (trabalho, escola, casa, em família, etc.) de quando nos reunimos para adorá-lo em comunidade aos domingos. Lembre-se fomos criados para o Seu louvor!
Oferecendo nosso corpo como instrumento para glória de Deus (1ª Co 6.20)
“Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo.” (1ª Co 6.20).
Ao sermos libertos da escravidão do pecado, os membros do nosso corpo deixam de ser instrumentos de iniqüidade para ser instrumentos de justiça (Rm 6.13). O nosso corpo ao invés de ser um poço para o pecado passa a ser templo do Espírito Santo, habitação do Deus vivo. O nosso corpo não foi criado para a impureza, mas para a santidade (“Por isso, recebendo nós um reino inabalável, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverência e santo temor;” Hb 12.28). Temos o privilegio de desfrutar de tudo o que Deus criou para o seu louvor, não podemos esquecer deste detalhe: “Exorta aos ricos do presente século que não sejam orgulhosos, nem depositem a sua esperança na instabilidade da riqueza, mas em Deus, que tudo nos proporciona ricamente para nosso aprazimento; que pratiquem o bem, sejam ricos de boas obras, generosos em dar e prontos a repartir; que acumulem para si mesmos tesouros, sólido fundamento para o futuro, a fim de se apoderarem da verdadeira vida.” 1ª Tm 6.17-19.
Vivendo para abençoar outras pessoas (2ª Co 4.15)
“Porque todas as coisas existem por amor de vós, para que a graça, multiplicando-se, torne abundantes as ações de graças por meio de muitos, para glória de Deus.” (2ª Co 4.15).
Deus é glorificado em nós quando expressamos a compaixão de Cristo pelas pessoas. Deus ama, socorre, consola e anima as pessoas por meio de nós. Somos o corpo de Cristo em ação na terra. Quando as pessoas tributam a Deus ações de graças pelo bem que lhe fazemos, isso traz glória ao nome de Deus. Jesus foi muito claro em seu ensino no sermão do monte, quando afirmou: “Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus.” (Mt 5.16).
Concluindo, precisamos demonstrar afeição a Deus através de nossos atos diários. Ter em nosso coração alegria em adorá-lo, estar atento com as coisas de Deus e não cessar de falar do Seu doce nome. “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.” (1ª Co 10.31).

sexta-feira, 4 de março de 2011

Quando as mascaras caem

Uma vez por ano elas submergem no anonimato das máscaras sem nome. Uma vez por ano elas querem gozar como desconhecidas, aquilo que a vida oferece. Uma vez por ano elas se livram das amarras da responsabilidade, das preocupações e da autodisciplina. Mas como passam rapidamente os dias de divertimento sem controle! A toda bebedeira segue uma ressaca; todos que usam máscaras serão desmascarados.
Existe alguém que não se deixa enganar pela tua fantasia, alguém diante de cujos olhos de fogo não existem pessoas atrás das máscaras. Os olhos do Deus vivo e santo vêem todas as coisas. Eles te seguem sempre e em todos os lugares! Na Bíblia está escrito: “Senhor, tu me sondas e me conheces. Sabes quando me assento e quando levanto... Esquadrinhas o meu andar e o meu deitar, e conheces todos os meus caminhos... Para onde fugirei da tua face? Se subo aos céus, lá estás; se faço a minha cama no mais profundo abismo, lá estás também... Se eu digo: As trevas, com efeito, me encobrirão, e a luz ao redor de mim se fará noite, até as próprias trevas não te são escuras: as trevas e a luz são para ti a mesma coisa” (Salmo 139).
Também na balbúrdia do carnaval, os olhos de Deus te observam. Mesmo que submirjas, mesmo que nenhuma pessoa te identifique – Deus te reconhece! Ele sabe a respeito de tudo que fazes. Diante dele, têm que cair todas as máscaras! Permite-me perguntar-te: como ficas depois da folia do carnaval? Seja sincero, não te iludas! Não é assim: teu coração está vazio, ficas mal-humorado, tu te sentes miserável. A vida ficou monótona e vazia. Restou somente um gosto amargo. O tempo do carnaval veio a ti em vestes de alegria, mas sempre lhe seguem vultos vestidos de preto. Trata-se das aflições, das dores de consciência, do sofrimento e do desespero.
Feliz de ti se capitulares hoje diante de Deus! Feliz de ti, se cair tua máscara! Pois Deus te faz uma oferta. Se quiseres, ainda hoje ele te dará alegria pura e verdadeira, que não tem nada em comum com a alegria “mascarada”. Trata-se de uma alegria que poderás levar para tua vida diária.
Tu te sentes sujo e manchado pelo pecado? Está o teu coração decepcionado e vazio? Então vem a Jesus Cristo, o Filho de Deus. A Bíblia diz: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3.16); “... o sangue de Jesus, seu filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1.7).
Deus diz: “Desfaço as tuas transgressões como a névoa, e os teus pecados como a nuvem; torna-te para mim, porque eu te remi” (Isaías 44.22). Virá o dia em que todas as pessoas do mundo terão que comparecer ao juízo de Deus: “... para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai” (Filipenses 2.10-11).
Esse será o dia em que o Deus santo arrancará dos rostos dos homens as máscaras da justiça própria, do orgulho e da altivez. De que maneira terrível aparecerá então a pecaminosidade e pobreza de uma vida desperdiçada! Por isso, deixa desmascarar-te hoje por Deus. Aceita a graça de Deus, que te é oferecida em Jesus Cristo. Hoje ele quer ser teu Salvador, amanhã talvez já seja teu Juiz! Aceita na fé o perdão dos pecados através do sangue de Jesus Cristo. Inicia hoje uma nova vida com teu Deus, uma vida de que não te precisarás envergonhar na Eternidade!
Extraído do Folheto Quando as Máscaras Caem
(Y. M. - http://www.ajesus.com.br/)