"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Por que Você parou De correr?

Sempre quando se começa um novo ano, acabamos fazendo algumas coisas comuns. Primeiro fazemos uma avaliação sobre o ano que passou (Podemos refletir sobre erros e acertos). E em segundo lugar fazemos todo tipo de votos e compromissos para o ano que se inicia. O problema aqui, é que na maioria das vezes, vemos que os votos são os mesmos. Na maioria das vezes não conseguimos cumprir os votos. Parece-me ainda que as coisas do Senhor não são mais prioridades. Por isso é tão pertinente a pergunta que Paulo faz aos gálatas: "Vocês estavam correndo muito bem,  mas quem os convenceu a se desviar do caminho da obediência?”  (Gálatas 5.7). A algumas verdades neste texto tão atuais aos nossos dias, pois Paulo está tocando em nossos corações. É como se ele estivesse nos dizendo Chico você se lembra do começo de sua caminhada cristã? E por que você parou de correr? Com certeza começamos bem nossa carreira cristã,  mas as vãs filosofias, o peso do mundo e tantas outras situações acabaram entrando em nossa pista de corrida para tirar o nosso foco do alvo, e como os gálatas acabamos perdendo a motivação. Gostaria de destacar alguns pontos que acho importante nesta importante chamada de atenção de Paulo:
1. Obedecer a verdade
Precisamos obedecer a verdade porque a vida é uma corrida. Paulo faz uma ilustração aos gálatas, mostrando a eles como se estivessem em uma pista de corrida. A correria da vida, o stress diário entram nesta pista para nos tirar do rumo, é um trabalho do inimigo para bloquear nosso progresso na fé. E ainda, pode também levar-nos a correr na direção errada. Paulo usa a imagem das corridas sobre suas regras, um competidor não pode sair de suas marcas na pista de corrida. E ele nos mostra que em nossa caminhada cristã precisamos correr segunda as regras de Cristo não do mundo. Conversando com um irmão amado sobre este tema, ele me fez uma importante colocação: “Sabe Chico, (Ele disse) o mundo insiste em nos afirmar que precisamos correr atrás das coisas, atrás de nossos objetivos, atrás de nossos sonhos, mas Deus não nos diz isso! Ele diz que precisamos correr para o alvo, vencer para merecer a corroa. Quem corre atrás nunca vence!” Parei por um minuto e o Espírito Santo encheu meu coração de temor e na hora me veio à mente o texto áureo do Reino: “Buscai, assim, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.” (Mateus 6.33).  Somos cidadãos do céu pela fé em Cristo Jesus. O Senhor determina nosso curso, pois não corremos para ser salvos, mas sim porque já somos salvos e desejamos obedecer e realizar a vontade de Deus em nossas vidas (“E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” Rm 12.2).
2. Aprender da verdade
“Esta persuasão não vem daquele que vos chama.” (Gálatas 5.8)  
Paulo diz que essa influência para desviar-nos da verdade e perdermos o rumo certo, não vem de Deus, mas do diabo. Ele cria desvios do caminho da graça, para levar-nos a entramos em labirintos de confusão. Essa sedução vem do engano, da mentira, dos profetas da conveniência. Fruto de um evangelho de oportunidades onde o alvo é alcançar os objetivos pessoais e não buscar a Cristo. Precisamos aprender e viver o evangelho do reino de Cristo, pois Deus é fiel para cumprir Sua palavra. Aquilo que não está fundamentado nas Sagradas Escrituras não procede de Deus. Precisamos passar todo ensino e pratica de vida pelo filtro das escrituras. Desviar-nos do evangelho de Cristo é aceitar o conselho do mundo e não de Deus.
Esse desvio da verdade pode ser como o fermento (vs.9), pois o fermento é o símbolo da hipocrisia, do pecado e das falsas doutrinas. O fermento, por menor que seja sua quantidade, transmite sua origem a toda a massa. Amados, precisamos ser muito cautelosos diante destes dias em que estamos vivendo, pois somos atacados de maneira sutil, as vezes como algo inofensivo, mas que nos leva a afastarmos daquilo que Deus tem para nós. Esfriamos, deixamos de orar, não nos importamos mais com as coisas do Senhor! Paramos de correr!!!
Não podemos ser tolerantes com o pecado, não podemos transigir com a verdade. Não podemos fazer vistas grossas com o que está acontecendo ao nosso lado. Queridos o diabo tem de uma forma bem sutil de agir, que nós não percebemos, mas ele vai penetrado em meio a muitas famílias para destruir (com pensamentos, conceitos e mentiras).
3. Ser fiel a verdade
“Confio de vós, no Senhor, que não alimentareis nenhum outro sentimento...” (vs. 10). Quando confiamos em Cristo não nutrimos nenhum outro sentimento senão as verdades do reino de Deus. As pessoas estão olhando para nossas vidas e vendo como agimos, como pensamos, como falamos. Amados, com certeza as pessoas nos observam e esperam que continuemos firmes na corrida da carreira cristã sem nos desviarmos para a direita ou para a esquerda. Muitas vezes somos tentados a viver independentes da vontade de Deus, como diz a letra do louvor de David Quinlan:
Quero ser como criança, Te amar pelo que És
Voltar à inocência
E acreditar em Ti
Mas às vezes sou levado, Pela vontade de crescer, Torno-me independente
E deixo de simplesmente crer...
Não são poucos os que corriam e agora não correm mais. Acontece o mesmo que aconteceu com Davi, quando ele deixou de correr pelas coisas do Senhor e foi desfrutar de suas conquistas. Ele se desprendeu do rebanho. Amados, Davi era conhecedor dos mandamentos do Senhor, tocava harpa, dançava diante do Senhor, mas ele fraquejou, deu-se ao luxo de ter uma aventura, satisfazer sua carne, deixou de ser fiel ao seu Senhor. Davi deixou de correr! Por que, pois, desprezaste a palavra do SENHOR, fazendo o que era mau perante ele? (2Sm 12.9).
Concluindo, precisamos temer ao Senhor, principalmente nestes dias em que estamos vivendo. Precisamos parar e nos perguntar com clareza e inteireza de coração: Por que parei de correr! O que tem me atrapalhado, o que me tem feito parar de correr para as coisas do Senhor! Preciso mais que tudo é obedecer, aprender e ser fiel a sua verdade. Precisamos mais que tudo almejar e priorizar em nossas vidas seus pastos verdejantes, suas águas tranquilas, da mesa farta em comunhão onde o cálice transborda, da unção com óleo, da bondade e da fidelidade diárias com o Senhor.

domingo, 4 de janeiro de 2015

A Tempestade e o Travesseiro

“E Jesus estava na popa, dormindo sobre o travesseiro; eles o despertaram e lhe disseram: Mestre, não te importa que pereçamos?”

Pois é...
Aí estamos diante de um novo ano!
Como será 2015? Que podemos esperar nessa nova etapa?
Algumas pessoas estão dizendo que será um ano de muito aperto econômico, por causa de tomadas de posições equivocadas do nosso governo.
E, por causa do fato de estarmos no final dos tempos as perseguições e aflições virão maiores para o povo do Senhor. Outros, entendendo a soberania de Deus, afirmam que todas as coisas vão cooperar para o nosso bem e que a Igreja será mais santa, mais pura, mais obreira. Creio que todos estão certos nas coisas que afirmam mas, de fato, o próximo ano é uma incógnita!
De uma coisa temos certeza: as aflições profetizadas por Jesus Cristo continuarão vindo sobre nós. Algumas delas por nossa culpa, outras para levar-nos a um maior conhecimento do Senhor Jesus, enfim teremos tempestades!
Eu estava lendo o texto acima e minha atenção foi chamada para uns detalhes que eu ainda não havia percebido. Quero tentar compartilhar o que vi no texto. Jesus estava no seu labor diário de ensinar aos discípulos como cuidar das pessoas, como tocar nelas, como ser atencioso, até o momento em que Ele decidiu que, por ser tarde, deveriam passar para o outro lado do lago.
O primeiro detalhe está no versículo 36: “E eles, despedindo a multidão, o levaram assim como estava, no barco...” Jesus deu o comando mas foram os discípulos que despediram a multidão. Isso fala de descansar no trabalho dos outros, ainda que estivessem sendo formados. Pois um povo pode ser despedido com grosseria ou com polidez. Com rudeza ou com carinho.
Outra coisa nesse versículo é que o Senhor Jesus, se deixou levar!
Como precisamos que, em alguns momentos, outros cuidem de nós, ainda aqueles de quem nós cuidamos no dia a dia. Faz parte da vida, quando ensinamos, nos submeter para receber cuidados. Uma pergunta que me ocorreu foi: Jesus sabia da tempestade que viria? Ele era consciente do que estava por vir? O episódio seguinte fazia parte do “curso de discipulado”?
Eu creio que sim. Como Jesus não fazia nada que não tivesse visto o Pai fazer e não falava nada que não tivesse ouvido o Pai falar, eu entendo que o que viria não seria desconhecido dele. Não quero dizer que Jesus usou seus atributos divinos. Estou afirmando que ele sabia por revelação do Pai. Estou levantando essa questão por que há um detalhe muito importante na história, que é a presença de um travesseiro num barco de pesca.
Eu fiz uma pesquisa, ainda que pequena, perguntei a irmãos que trabalham na pesca, e o que aprendi que em um barco de pesca um travesseiro é algo incomum. Quando algum pescador quer dormir ele se deita no monte de cordas ou em cima das redes, ou diretamente no convés do barco!
O texto diz que Jesus “dormia sobre O travesseiro”. Em algumas versões a expressão é “dormia sobre uma almofada”.
Entendo que, por causa do fato incomum de haver um travesseiro a bordo de um barco de pesca, o artigo definido seria a melhor escolha.
Mas, então, de onde surgiu esse travesseiro? Permitam-me imaginar que alguma mãe cuidadosa tivesse levado enquanto seguia a Jesus com o filho, e no momento de se separar do Mestre resolveu prover o Senhor Jesus de algum descanso. Bem, o fato é que a origem do travesseiro não é tanto importante como o fato de Jesus ter um travesseiro para um momento de tempestade. Se ele sabia da tempestade que viria, então a coisa fica ainda mais interessante. O que compreendi é que o Senhor proveu para si um descanso para o momento de tribulação. Isso combina com seu alerta quando disse que no mundo teríamos aflições, mas que deveríamos ter bom ânimo.
Ele nos alertou também sobre as perseguições que viriam sobre nós, por causa do evangelho, e isso aconteceria até no seio das famílias, quando irmão se levantaria contra irmão, pais contra filhos, filhos contra pais...
Ele disse que o discípulo seria perseguido e o que suportasse a perseguição seria, verdadeiramente, seu discípulo.
O que aprendo com isso?
Devo prover um travesseiro para os dias de angústias.
O que seria esse travesseiro? Seriam palavras do Senhor Jesus, que devo guardar em meu coração, dando ao Espírito Santo “material”  para que Ele use ao meu favor nos momentos de perturbação e de lutas. Por exemplo, o Salmo 23 é um tremendo travesseiro! Fala de coisas que aconteciam e que aconteceriam. Que textos posso por em minha mente para que o Espírito use no meu coração naquelas horas difíceis? Já fomos avisados a respeito das tempestades. Devemos então nos prover dos “travesseiros” que o Senhor tem para nós. Interessante notar que o texto não fala de uma cama, ou um colchonete. Fala de travesseiro.
Quando Jesus falou de um lugar de repouso que as raposas tem e que os pássaros tem, ele disse El não tinha um lugar onde reclinasse sua cabeça!
Aqui está uma tremenda lição para nós. A cabeça é o lugar onde as lutas se instalam. Ali é onde travamos as batalhas mais ferozes e é a cabeça que precisa entrar no repouso do Senhor. Por isso precisamos de um lugar de repouso para nossa cabeça. É na nossa mente que usamos as armas espirituais, poderosas em Deus, para anular sofismas e todo pensamento que, altivo, se levanta contra o conhecimento de Deus.
Devemos ter sempre conosco esses travesseiros, pois eles funcionam também como capacetes da Salvação. Quantas vezes nossas mentes nos traem!
Como precisamos obedecer ao ensino de Paulo, em Filipenses 4:8, sobre o que deve ocupar a nossa mente...
Ainda outro dado interessante é o lugar onde Ele foi dormir: na popa. Ali é onde se dá o maior trabalho pois é onde fica o leme.
Aprendi com isso que Jesus, além de saber que a tempestade viria, ele escolheu dormir no lugar que dava a direção ao barco.
Ou seja, Ele se entregou, completamente aos cuidados do Pai: dormiu na tempestade e entregou o seu destino nas mãos Daquele que sabe todas as coisas. Como ficaram os discípulos?
Ficaram como ficam as pessoas que nos cercam e que tentam, de todas as formas, tirar-nos do descanso em Deus. Tentam nos fazer preocupados com o dia de amanhã. Eles fazem isso por que não conhecem ao nosso Pai. Jesus falou que são os gentios que se preocupam, mas nós somos filhos!
Eu penso que se os discípulos não tivessem acordado a Jesus, ele dormiria durante toda a viagem.
Que tal fazermos companhia a Jesus e pegar nosso travesseiro e descansar com ele nos braços do Pai, durante o ano de 2015?
Bom descanso e bons sonhos!
Jamê Nobre