"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



sábado, 30 de julho de 2011

Um céu de curta duração!

Certo homem era casado com uma mulher cuja paciência não tinha limites, e ele se aproveitava disso. Para se gabar da submissão de sua esposa, ele levou um de seus colegas, o qual estava bebendo com ele no bar, para casa depois da meia-noite. Sua mulher já estava dormindo, mas se levantou para abrir a porta. 
Faça uma comida para mim – exigiu grosseiramente o marido.
Sem manifestar a menor contrariedade, essa crente foi para a cozinha.
Enquanto a observava preparar a comida, o marido sorria satisfeito consigo mesmo, mas o amigo permanecia pensativo. Quando a mulher serviu à mesa, este último se voltou para ela e disse:
Não posso compreender como você se dispõe a satisfazer os caprichos de seu marido assim!
Com tristeza, ela respondeu: – Senhor, esse é todo o céu que ele irá conhecer, e é tão curto!
O convidado se calou. Então ele repetiu em voz baixa: “Esse é todo o céu que ele irá conhecer, e é tão curto! Se isso está correto, então, o que vem depois? O inferno… que será infinitamente duradouro”. Foi para casa meditando nisso. Não conseguiu esquecer o assunto. Escutando uma pregação do Evangelho, creu na Palavra de Deus e recebeu o Senhor Jesus como seu Salvador pessoal. Assim obteve a paz com Deus. Tudo isso em conseqüência das inesperadas palavras de uma crente cuja paciência e resignação foram um testemunho efetivo do que é pertencer a Cristo.
Temos vivido dias onde somos atribulados e desafiados em nossa paciência (No transito, no trabalho, na escola, em nossos relacionamentos...) por isso precisamos estar em Cristo e demonstrar o Seu amor incondicional a todos! “A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um...” (Colossenses 4.6).
No amor de Cristo,

terça-feira, 19 de julho de 2011

A personalidade humana

"Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” (Ef 2.10).

A personalidade humana é formada pela soma de caracteres que constituem o ser humano, na sua existência terrena, que Deus quer resgatar para a eternidade. Sem prescindir do espírito e do corpo, basicamente se identifica com a alma. O homem foi criado alma vivente (Gn 2.7). Os atributos e potencialidades da alma têm seu espelho na divindade que o criou (Gn 1.27).
A palavra personalidade deriva-se do latim persona, que por sua vez significa máscara, aquilo que está por detrás de alguém. São caracteres da natureza interior, que representadas ou personificadas, dão substância, tornam visível, por expressão, palavras ou comportamento. O corpo humano neste sentido serve de instrumento condutor de expressão da alma. O espírito humano consiste o elemento de inspiração, que compõe o papel a ser interpretado pela alma através do corpo. São atributos da alma ou potencialidades:
  • Conhecimento: Que é a aptidão para recepcionar e conceber idéias, conceitos, através do pensamento e da imaginação (o intelecto humano);
  • Sensibilidade: Que é a aptidão para a empatia, rejeição, aceitação que inclui a sexualidade e o prazer (as emoções) e,
  • Volição: Que é a aptidão para escolher e decidir de forma motivada no âmbito moral e espiritual (vontade).
A integridade da alma humana pode ser aferida por conceituação e análise de dois atributos que formam a personalidade:
  • Índole: Soma de virtudes, qualidades boas ou más = caráter.
  • Temperamento: Capacidade emocional de agir ou reagir adequadamente ou não às circunstâncias.
Índole ou caráter indica o que o individuo é. Temperamento indica o que o indivíduo demonstra ser. Poderíamos dizer que o temperamento é o termômetro da personalidade ou expressão visível da mesma.
“Pois somos feitura dele...” (Ef 2.10), a expressão feitura (ποίημα / poíema no grego) tem um sentido de poema. Esta palavra no sentido musical (como o universo foi criado – Sl 148) significa composição de estatura livre para instrumento único ou instrumento solista. O homem foi criado um ser moral livre, para ser instrumento único de Deus, para representá-lo na terra, interpretando a vida de Deus, expressando o Seu louvor, um poema. A queda fez do homem um falso ator (hipócrita). A redenção significa a volta para o propósito de origem (Ef 2.10).

Visão da História

A história não é dirigida por forças cegas. Deus está no centro dela, razão pela qual devemos olhá-la através do binóculo do Espírito Santo. Por aí, vemos a restauração, como processo histórico das verdades de Deus em cada geração, buscando alcançar a todos. A ação de satanás consiste em impedir que isto aconteça. Para tanto, atua no mundo e na igreja utilizando-se de estratégias especificas. A contemporização ou mistificação pelas super-ênfases diminuem ou acrescentam o conteúdo do evangelho do reino. Contemporizar significa assumir valores, motivações, tendências, modismo e praticas. Uma forma de agradar o sistema com o intuito de conquistá-lo. A mistificação pelas super-ênfases consiste no detalhamento (intelectual ou místico) exaustivo dos mistérios de Deus e das realidades espirituais. O fim disto é uma percepção gnóstica, onde o conhecimento controla as causas das coisas, independente da ação do Espírito Santo e da palavra escrita ou mesmo utilizando-se de ambos indevidamente.
Exemplificando, a juventude hoje, busca desenfreadamente sua realidade existencial. A música atual serve de paliativo ou inculturação (assumir a cultura). Não é incentivando que vamos alcançá-la verdadeiramente. É preciso restaurar a verdadeira adoração que implique em testemunho intransigente da verdade.
Não é menos verdade a atuação de demônios e que, as batalhas espirituais recrudescem à medida que o fim se aproxima. Isto implica em luta e estratégia biblicamente válida de confronto. Neste caso, precisamos descobrir que nível de sujeição a Cristo nos conduz à vitória que realiza o propósito de Deus na terra.
Uma reflexão do momento histórico nos leva a enxergar três verdades que estão sendo restauradas em nossos dias:
  • Um compromisso com a oração pessoal e coletiva;
  • Um compromisso com a unidade da igreja, através do qual, o senhorio de Jesus Cristo encontra verdadeira expressão e,
  • Um genuíno louvor que procede deste relacionamento de oração e comunhão do povo de Deus.
Não nos deixemos envolver por doutrinas estranhas que nos afasta da simplicidade de Cristo. Não permitamos que o encanto dos extremos nos tire do centro. Concentremo-nos naquilo que é o propósito de Deus. A vitória está garantida: “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus.” (Mt 16.18-19).

terça-feira, 12 de julho de 2011

Andar em sabedoria

Efésios 5.15 “Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios, 5.16 remindo o tempo, porque os dias são maus. 5.17 Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor.”
“Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, e sim como sábios...” Esta palavra indica que somos espiritualmente iluminados, para nos tornarmos sábios, dotados de conhecimento. O uso adequado da luz permite que o olho veja com mais exatidão. Portanto uma vez que a luz de Cristo esta em nós, podemos ver claramente como devemos andar.
Recebemos sabedoria (Ef 1.8) e sendo assim podemos orar pelo espírito de sabedoria (Ef 1.17) por isso precisamos demonstrar a sabedoria de Deus em nossas vidas (Ef 3.10). Viver em retidão é prova de sabedoria. Paulo apresenta varias razões para andarmos de forma sábia:
1. A vida é curta (remindo o tempo... vs.16a);
2. Os dias são maus (... porque os dias são maus. Vs.16b);
3. Deus nos deu uma mente (Por esta razão, não vos torneis insensatos... vs.17a);
4. Deus tem um plano para nossas vidas (mas procurai compreender qual a vontade do Senhor. Vs.17b).
Os versos 15 a 17 definem o andar da sabedoria em dois pontos: 1. Andar em sabedoria nos ajuda há aproveitar as oportunidades e 2. Andar em sabedoria nos capacita a discernir a vontade de Deus para nós.
1. Andar em sabedoria nos ajuda há aproveitar as oportunidades
5.16 "remindo o tempo, porque os dias são maus."
A tradução mais correta para este versículo é: “usando bem cada oportunidade, porquanto os dias são maus.” E aqui neste texto tem o sentido de tirar o maior proveito do tempo. Kairos: tempo de oportunidade (momento certo, ocasião oportuna). E não chronos: Um período de tempo (uma duração). Paulo é bem pratico no seu ensino. Andar em sabedoria diz respeito ao uso adequado do tempo, e não apenas o espaço do tempo que cada dia contem, mas sim, o tempo apropriado, as oportunidades que Deus tem preparado para nós. A algumas semanas ouvi uma noticia que me deixou pensativo: 
Aumenta número de casamentos depois do terremoto no Japão
A tragédia que atingiu o Japão teve uma conseqüência inusitada: aumentou o número de casamentos. Pelo jeito, diante de tragédias, as pessoas decidem agir. Elas se dão conta de que a vida é curta e, para ser feliz, não se pode perder tempo. Um rapaz acha que as pessoas sozinhas ficam mais carentes quando passam por uma tragédia. Um casal disse que vai se casar em breve, mas diz que a data já estava marcada. Outro casal, já casado, disse que os dois enfrentaram o terremoto juntos e isso fez com que eles valorizassem mais a relação e a família. Historiadores dizem que as grandes tragédias naturais que atingem o Japão sempre provocam profundas mudanças sociais. Para um país com uma das menores taxas de natalidade do mundo, com a população encolhendo e envelhecendo, só há um remédio: o amor.
Podemos definir também a expressão remir o tempo como aproveitar o tempo. Como cristãos temos que usar o tempo (Como usar nosso dinheiro, nossas capacidades, nosso conhecimento, nossa mente...) em nosso favor, o tempo não é nosso inimigo. Satanás tenta tirar proveito deste mundo tão corrido que vivemos, e assim, podemos cometer o erro de usar o tempo de maneira a não aproveitar as oportunidades que nos aparecem. A característica de nossos dias é gastar mais e mais tempo sem ter nenhum benefício para as coisas celestiais.
2. Andar em sabedoria nos capacita a discernir a vontade de Deus para nós.
“Confie no SENHOR de todo o coração e não se apóie na sua própria inteligência. Lembre de Deus em tudo o que fizer, e ele lhe mostrará o caminho certo. Não fique pensando que você é sábio; tema o SENHOR e não faça nada que seja errado. Pois isso será como um bom remédio para curar as suas feridas e aliviar os seus sofrimentos.” (Pv 3.5-8).
Nada é mais importante na vida do que descobrir e praticar a vontade de Deus. A coisa mais importante na vida do cristão é estar no centro da vontade de Deus. A pressão que temos passado nesses dias nos leva a correr o risco de sairmos da luz de Cristo e andarmos na insensatez de confiar em nossos próprios meios e entendimento. Precisamos voltar a uma busca sincera a vontade de Deus para nós a cada dia como Paulo diz no verso 10 provando o que é agradável ao Senhor. O Senhor nos tem capacitado com dons e sabedoria para conhecermos, compreendermos e ai então, fazermos a vontade de Deus como prioridade em nosso dia a dia.
Nestes dias em que vivemos somos tentados a tomar decisões rapidamente, e assim não buscamos conselho e confiamos tão somente em nossos sentimentos e circunstâncias que nos envolvem.
PROVÉRBIOS 4.20-27 diz assim: "Filho, preste atenção no que eu digo. Escute as minhas palavras. Nunca deixe que elas se afastem de você. Lembre delas e ame-as. Elas darão vida longa e saúde a quem entendê-las. Tenha cuidado com o que você pensa, pois a sua vida é dirigida pelos seus pensamentos. Nunca fale mentiras, nem diga palavras perversas. Olhe firme para a frente, com toda a confiança; não abaixe a cabeça, envergonhado. Pense bem no que você vai fazer, e todos os seus planos darão certo. Evite o mal e caminhe sempre em frente; não se desvie nem um só passo do caminho certo."
Concluindo, temos vivido dias onde a sabedoria de Deus tem sido pouco utilizada pelos cristãos. O mundo e suas vãs filosofias tem tido uma primazia na vida dos discípulos, por isso precisamos ter a graça de buscar nas palavras do salmista inspiração para nosso dia a dia: "Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida." (Pv 4.23).