"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



domingo, 5 de março de 2017

Uma vida atraente

Paulo em sua segunda carta a seu discípulo Timóteo, no capitulo dois, utiliza quatro verbos para salientar os princípios de uma vida atraente. Ao lermos as escrituras, precisamos estar sempre atentos para os verbos do trecho que estamos lendo (meu professor de grego sempre me chamava a atenção para os verbos), pois eles formam o conteúdo da mensagem. São eles que mantem os pensamentos coesos. Quando há uma ação a realizar, os verbos indicam os passos que devemos tomar para nos alinharmos com a verdade. Neste caso, os verbos aparecem sob a forma de mandamentos, com o objetivo de estimular um ambiente bíblico e atraente para a evangelização. Gostaria de destacar no texto de 2 Timóteo 2, quatro características que torna uma pessoa atraente:
1. O verbo fortifique-se
“Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus.” (2 Timóteo 2.1).
O verbo fortificar fornece a primeira característica de uma pessoa atraente. Jesus era uma pessoa contagiante, Paulo era uma pessoa contagiante. E o ensino que o sábio apostolo passa a seu filho na fé: “é sempre necessário permanecer forte na graça.” Parece fácil e simples, mas esse é o principio mais difícil de se aplicar em nossa sociedade tão consumista. Paulo ensina a Timóteo algo que ele vivia: Ele proclamava e promovia a graça. Vivia da graça, sua mensagem era o evangelho da graça. Paulo jamais se esqueceu da importância do favor imerecido de Deus em sua vida. A mensagem que Paulo anunciava era as boas novas do reino de Cristo, que é graça aos perdidos. Imaginem o impacto que haveria em nossos círculos de amizade ou local de trabalho, se cada um de nós nos dispuséssemos a anunciar aquilo que a graça de Deus fez em nossas vidas. Pense nisso, uma vez por semana, somente com uma pessoa. Deixe eu te dizer algo: o ímpio precisa ouvir a mensagem da cruz, que o leva de uma vida vazia, repleta de culpa e pecado, para uma vida em que o senhorio de Cristo traz graça, paz, amor e perdão. Amados, nós somos esta ponte que liga o pecador a Cristo, quando anunciamos o evangelho do reino.
2. O verbo confiar
“E o que de mim, entre muitas testemunhas , ouviste , confia-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros.” (2 Timóteo 2.2).
Esse versículo apresenta nossa segunda característica como um discípulo que tem contagiado vidas com seu testemunho.  Essa base é fornecida por meio do verbo confiar, que no original significa literalmente entregar algo a alguém. Fica difícil entender aqui a palavra entregar, pois tem um sentido de que não posso somente entregar algo sem me comprometer com ele. Acho importante a ideia de transmitir a verdade como quem confia algo de valor a alguém. Amados, temos uma mensagem valiosa para passar adiante. O apostolo Paulo transmitiu a Timóteo seu coração, sua alma, suas verdades, seus estímulos, enfim, sua vida.
3. O verbo sofrer
“Tu pois, sofre as aflições, como bom soldado de Jesus Cristo.” (2 Timóteo 2.3).
Gosto da simplicidade das palavras de Paulo, embora não sejam simples de se viver. No original este verbo sofrer, compõe a tradução de um único verbo que significa: “Suportar o mesmo tipo de sofrimento que os outros.” Não é um mandamento fácil de cumprir, é preciso da graça do Espírito Santo para cumprir. Que benção quando isso ocorre de fato! Você notou a palavra comigo (que consta de algumas versões), no texto acima. É isto que torna uma pessoa atraente, contagiante, simpática, quando alguém se machuca, todos sofrem juntos. Ninguém sofre sozinho. Hoje há tantos que necessitam de apoio, pois enfrentam crises e desapontamentos diários, outros possuem familiares que precisam de nossas orações. Lembre-se é a graça que nos une. Vivemos em uma cultura que impera competição e inveja. Todos os esforços são direcionados e motivados pelo lucro. No corpo de Cristo, a igreja, não pode ser assim, pois o amor de Cristo que nos une: Quando tem alguém em dificuldade, a comunidade se une para ajudar. Outro vai a casa do enfermo para visita-lo, outro vai as compras e socorre ao necessitado. Ninguém pode se curar sozinho.
4. O verbo suportar
“Por esta razão, tudo suporto por causa dos eleitos, para que também eles obtenham a salvação que está em Cristo Jesus, com eterna glória.” (2 Timóteo 2.10).
O ponto principal para se destacar aqui está no verbo suportar, que no original é uma palavra composta: ὐπομενω / hipomenō à hipo = embaixo / menō = resistir. A ideia que Paulo esta passando para Timóteo é para ele permanecer firme sob as pressões, dificuldades e sofrimentos decorrentes da proclamação do evangelho. Quando estamos anunciando Cristo a alguém sempre ocorre confrontos e dificuldades para desistirmos. Mas Paulo esta nos dizendo não desista, siga firme. Mantenha sua palavra e integridade. Vele por seu testemunho. Não podemos ceder a pressão do mundo, da cultura ou rebaixarmos o padrão que nos foi dado por Cristo. Precisamos permanecer focados na mensagem, anunciando-a de modo consistente. Não podemos deixar de tornar Cristo conhecido para esta pessoa. Algo que nos paralisa e impede que o Espírito Santo opere em nossas vidas é a falta de perdão. O perdão é a chave da benção. O arrependimento e o perdão abrem os nossos corações e fazem que o rio de Deus possa fluir livremente em nós. Precisamos nos render ao Espírito Santo para que ele traga as nossas mentes o que precisa ser resolvido em nossos corações.
Concluindo, quando assumimos estas características (Fortificar-se, confiar, sofrer e suportar) em nossas vidas e unindo aos fundamentos de Atos 2.42-47, nossa vida será incrivelmente diferente e maravilhosamente atraente. Em outras palavras: Uma vida contagiante. E assim, nos tornaremos uma comunidade onde cada parte do corpo opera em conjunto saudável, atencioso, desenvolvido e maduro. Vamos anunciar o evangelho do reino, faremos discípulos. Seremos uma comunidade onde há ensino, comunhão, partir do pão e orações. E viveremos em comunhão plena onde então poderemos clamar em uma só voz: Ó vem Senhor Jesus!!!

sábado, 4 de março de 2017

Para onde você tem dirigido os seus pensamentos?

Vivemos em meio a muita pressão, somos forçados a tomar decisões rapidamente, sem pensar, sem refletir, sem analisar as consequências e por incrível que pareça: “sem orar antes de tomar decisões.” Nada é tão instável como os nossos sentimentos. 
Não se deixe influenciar negativamente pelas tendências do momento. Nem a lógica, o bom senso e as experiências servem de substitutos para a fé genuína. Na verdade, devemos pedir sabedoria e entendimento, mas em tudo nossa vida deveria ser determinada pela pergunta: “Senhor, que queres que eu faça?” Por isso, tome cuidado para que nada o afaste da íntima comunhão com o seu Senhor.
O Diabo não consegue roubar de você a condição de filho de Deus, mas pode plantar pensamentos em seu coração que formam uma nuvem escura sobre a sua alma. Por isso, esteja atento!
“Entrega o teu caminho ao Senhor; confia n’Ele, e Ele o fará. E Ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia. Descansa no Senhor, e espera n’Ele; não te indignes por causa daquele que prospera em seu caminho, por causa do homem que executa astutos intentos. Deixa a ira, e abandona o furor; não te indignes de forma alguma para fazer o mal.” (Salmos 37.5-8). 
As circunstâncias em nossa vida não existem para nos ensinar a temer, mas para fortalecer nossa fé. Para onde você dirige seus pensamentos? Em quem você confia quando as circunstâncias adiante se apresentam como um campo de batalhas? Entregue o seu caminho ao Senhor! Somente então Ele agirá e colocará as coisas em ordem.