"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



sábado, 7 de maio de 2011

Uma carta para Deus!

“Começamos, porventura, outra vez a recomendar-nos a nós mesmos? Ou temos necessidade, como alguns, de cartas de recomendação para vós outros ou de vós? Vós sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos os homens, estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério, escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações.” (2ª Coríntios 3.1-3).

Gostaria de destacar algumas preciosas verdades desse texto:
A verdade escrita no coração é a mais legível mensagem de Deus
“... Vós sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos os homens, estando já manifestos como carta de Cristo, produzida pelo nosso ministério, escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações.”
O mundo nem sempre lê as escrituras, mas ele está sempre nos lendo. Somos uma carta aberta sobre os olhos do mundo. Nossa vida é um outdoor de Deus estampado diante dos olhos das pessoas ao nosso redor. Nossa vida é uma espécie de megafone de Deus para os ouvidos em nossa história. Cada um de nós somos uma propaganda de Cristo.
Juan Carlos Ortiz (em seu livro O Discipulo), diz que somos o evangelho que é lido pelo mundo. Cada um de nós sendo uma tradução do evangelho as pessoas.
Jesus é o próprio autor desta carta, por isso não cabe nada além que ele mesmo queira escrever. Nenhuma mensagem espúria pode ser gravada em nossa vida. Por isso o pecado não pode reinar, nenhum parágrafo desta carta pode macular a honra do autor. Somos um poema, carta de Cristo.
A verdade escrita em nosso coração é a mais duradora mensagem de Deus
“... escrita não com tinta, mas pelo Espírito do Deus vivente, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne, isto é, nos corações.” (vs. 3).
A mensagem do evangelho não é escrita com tinta que se apaga, mas escrita pelo Espírito de Deus. Ela é escrita em nossos corações. Quando nos convertemos a Cristo e nos batizamos somos selados pelo Espírito Santo, por isso ninguém pode desfazer a obra de Deus em nós. Ninguém pode apagar a escrita do Espírito Santo nos corações transformados pelo evangelho.
A tinta é perecível, ela se apaga. Mas o que tem sido escrito em nossas vidas é espiritual e permanente. O E. S. não esta produzindo em nós uma caricatura de Cristo, mas nos transformando de glória em glória na própria imagem de Cristo:
“E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.” (vs. 18).
A verdade escrita no coração é a verdade mais convincente de Deus
“Vós sois a nossa carta, escrita em nosso coração, conhecida e lida por todos os homens...” (vs. 2).
Uma vida transformada pelo evangelho é o melhor visual para a pregação do evangelho. A vida transformada dos crentes em corintos era a carta de recomendação de Paulo (1ª Co 6.9-11).
Só o evangelho de Cristo transforma vidas. Só a verdade de Deus ilumina os olhos daqueles que estão mergulhados na escuridão do preconceito e nas trevas espessas do pecado. Nenhuma mensagem é tão impactante do que a de uma vida transformada pelo poder de Deus.
Certa vez um incrédulo começou a questionar a fé de um recém convertido, e sua fé nas verdades da Bíblia e seus milagres.
- Assim perguntou-lhe: “Você ainda acredita nesse relato de que Jesus multiplicou pães e peixes e transformou água em vinho?”
- O novo convertido respondeu: “Eu acredito firmemente nisso.”
- “Mas como você pode explicar isso? Perguntou incrédulo.
- “É que na minha casa, Jesus transformou cachaça em comida. Ódio, em amor. Brigas, em solidariedade, trevas em luz e perdição em salvação!”
Nossas vidas precisam ser um relato vivo e real na vida das pessoas que fazem parte de nosso dia a dia. Vidas transformadas, casas transformadas, casamentos transformados...
A verdade que esta sendo gravada em nós é a mais profunda mensagem de Deus. A lei foi gravada em tabuas e fora de nós, mas a nova aliança está sendo gravada dentro de nós (nos corações). A primeira nos fala o que devemos fazer para Deus, a segunda, o que Deus faz por nós!
Concluindo, Paulo depois de descrever as marcas de uma vida vitoriosa, faz uma pergunta que nos constrange: (2ª Coríntios 2.16) “Para com estes, cheiro de morte para morte; para com aqueles, aroma de vida para vida. Quem, porém, é suficiente para estas coisas?”
Ele não dá a resposta imediatamente. Somente no Cap. 3, ele nos mostra a verdade e responde a esta questão: “não que, por nós mesmos, sejamos capazes de pensar alguma coisa, como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus...” (2ª Co 3.5).
Paulo nos ensina que nossa pregação tem que ser baseada naquilo que Deus tem feito por nós, e essa é a diferença principal de vivermos a nova aliança. A velha aliança nos ensina a fazer o melhor para Deus, mas a nova aliança nos ensina que Deus fez tudo por nós.