"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



sábado, 21 de agosto de 2010

Fontes de águas vivas!


Nascente de água, ou manancial, de que se faz menção muitas vezes na Bíblia. Em terras secas da Judéia eram de particular valor, e provem daí o uso figurativo da palavra, como emblema de esperanças, bênçãos e considerações. “...Calebe lhe perguntou: Que desejas? Respondeu ela: Dá-me um presente; deste-me terra seca, dá-me também fontes de água.
Então, lhe deu as fontes superiores e as fontes inferiores.” (Josué 15.19)

Existem fontes superiores e inferiores. São fontes, não águas paradas. Há alegrias e bênçãos que se derramam de cima, através do verão mais intenso e sobre a terra mais deserta pela provação da dor. As terras de Acsa eram terras do sul, que ficavam sob forte sol, que às vezes abria fendas na terra devido ao grande calor, mas dos outeiros vinham sem falta as águas das fontes, que refrescavam e fertilizavam a terra toda.
Sim, as fontes que se derramam nos lugares baixos da vida, nos lugares difíceis, nos lugares desertos, solitários, nos lugares comuns; e não importa qual seja a nossa situação, podemos sempre achar essas fontes em Jesus!
Hoje enquanto esperava minha esposa ser atendida num pronto socorro municipal, fiquei olhando aquelas pessoas ali esperando (por horas), e sem reclamar e com toda a sua dor aguardando ansiosas pelo chamado de sua senha. Peguei-me pensando em homens e mulheres da Bíblia que aprenderam a esperar pela provisão do Senhor no momento de angustia. Abraão achou-as entre as colinas de Canaã. Moisés achou-as entre as rochas de Midiã. Davi encontrou-as no meio das cinzas de Ziclague quando perdeu a sua casa, a família e seu povo falava em apedrejá-lo. Mas Davi “Se reanimou no Senhor Seu Deus”. Habacuque as encontrou quando a figueira não deu flores e os campos não produziram, mas ao beber das fontes pode cantar: “Todavia, eu me alegro no Senhor, exulto no Deus da minha salvação.” E como esquecer de Zacarias. Sim Zacarias, que anuncia que uma fonte se abriria, na qual podiam ser lavadas as impurezas da casa de Davi e de Jerusalém, profecia esta que se cumpriu no sangue precioso e expiatório de Jesus Cristo.
Sabe meus amigos tenho aprendido em minha caminhada cristã a benção da esperança. O privilegio de aprender esperar e confiar em Jesus. Mesmo em ocasiões onde as situações não estão em nosso controle, podemos abrir os nossos lábios e dizer: “O cordeiro... os guiará para as fontes da água da vida” (Apocalipse 7.17).

Toda a glória a Jesus!