"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Pais, pessoas que inspiram...

"Fala com sabedoria, e a instrução da bondade está em sua língua."
(Provérbios 31.26).
Eu sei que este texto está inserido numa palavra as mulheres cristãs, mas gostaria de usá-lo dentro do contexto da família. Pois como discípulos de Cristo, precisamos ter a compreensão que ser cristão é sobretudo ter uma vida que precisa inspirar pessoas. Como pais cristãos precisamos entender que o Senhor nos capacita a criar nosso filhos em um ambiente de graça e amor, onde a marca que se torna visível é nossa devoção ao Senhor. Como pais levamos nossos filhos no coração, nos
braços, as mães levaram por um tempo em seu ventre. Diante de todo este quadro que a mensagem de Salomão nos trás, queria destacar alguns pontos aqui:
1 - Precisamos inspirar nossos filhos a orar
Podemos inspirar e influenciar decisivamente a vida de nossos filhos pela oração. Muitas escolhas acabam mal, por não ter sido feita debaixo de oração e sabedoria e assim nos leva a fazer as escolhas corretas. Diante de Deus temos a capacidade e unção para tocar nas escolhas de nossos filhos. Precisamos ser pais que ousem interceder pelos nossos filhos e não podemos jamais desistir deles. Como disse, nossa vida de oração por nossos filhos podem deixar marcas em suas vidas.
2 - Precisamos inspirar nossos filhos pelo ensino da palavra
Todos pais são educadores. A palavra de Deus da sabedoria e a instrução da verdade deve sempre estar em nossos lábios (em todo tempo, onde quer que estejamos). A palavra de Deus diz que o ensino precisa ser respaldado pelo exemplo. Portanto, o exemplo não é apenas uma forma de ensinar, mas a única maneira eficaz de fazê-lo. Antes de inculcar a palavra em nossos filhos, precisamos tê-la em nossos corações, ser exemplo para eles. Precisamos assumir nosso papel como educadores e investirmos tempo no ensino da
palavra a nossos filhos.
3 - Precisamos inspirar nossos filhos a serem piedosos 
Hoje há uma busca incessante por conhecimento, inclusive conhecimento da palavra, mas se tem esquecido de exercer misericórdia, ser piedoso. Não podemos ser desprovidos de piedade. Como pais precisamos ser firmes na palavra de Deus, comprometidos com a oração, mas precisamos também refletir na forma como Cristo se compadecia das pessoas. Por isso, precisamos transformar conhecimento em vida, nos levando a viver uma vida piedosa, cheios do Espírito Santo, prudentes no falar, irrepreensíveis na conduta, sensatos no agir e inspirar nossos filhos na santidade e amor. Inspirar nossos filhos a andar
com Deus.
Concluindo, precisamos aprender que nossos filhos (não importa a idade aqui), nem sempre precisam o que eles querem! Mas, precisamos saber o que eles precisam. Como disse no princípio somos educadores e o papel do educador não é estar sempre agradando a vontade dos filhos, mas prepará-los para a vida, ensinado a amar a Deus acima de todas as coisas e ser responsáveis por suas escolhas.