"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Falta de integridade

“Jesus virou-se e disse a Pedro: Saia da minha frente, Satanás! Você é como uma pedra no meu caminho para fazer com que eu tropece, pois está pensando como um ser humano pensa e não como Deus pensa.” (Mateus 16.23 - NTLH).
É difícil falar sobre integridade nestes dias de tanta falta de integridade. Falar de integridade sem parâmetros ou modelos torna o tema ainda mais emblemático. A Bíblia nos dá alguns modelos que precisamos ter como regras em nossas vidas cotidianas. Gostaria de me espelhar em Pedro e juntos podermos aprender com seus erros e acertos, como ser modelo para uma sociedade que tanto carece de modelos. Às vezes fico pensativo acerca destas palavras de Jesus para Pedro. Ao lembrar o contexto dessa repreensão Jesus havia acabado de prometer que construiria Sua igreja sobre a firme confissão de Pedro, que dissera ser Jesus, o Cristo! Talvez não me surpreenda que tenha sido Pedro quem mais tarde nos advertiu a respeito da difícil lição que ele mesmo aprendeu: “Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar.” (1Pedro 5.8). Acho interessante o fato de o Senhor ter utilizado Pedro em Atos para confrontar a mesma questão que o próprio discípulo aprendeu. Agora que Jesus havia começado a construir Sua igreja, o nosso adversário voltou a usar a mesma tática daquela primeira ocasião em que Cristo prometeu construí-la. Ananias e Safira, ao reterem parte do valor da propriedade e mentirem sobre isso, tinham o coração voltado aos interesses do homem e não aos de Deus, Pedro deve ter se lembrado das palavras do Senhor para ele: “...porque não cogitas das coisas de Deus, e sim das dos homens.” E com coração pastoral e de forma compassiva repreende a Ananias: “Por que você deixou Satanás dominar o seu coração? Por que mentiu para o Espírito Santo? Por que você ficou com uma parte do dinheiro que recebeu pela venda daquele terreno?  Antes de você vendê-lo, ele era seu; e, depois de vender, o dinheiro também era seu. Então por que resolveu fazer isso? Você não mentiu para seres humanos — mentiu para Deus!” (Atos 5.3-4). Pedro aprendeu que a coisa mais importante era a presença do Senhor, ao invés de buscar os interesses humanos. Como disse no inicio desta conversa, precisamos de modelos em nossas vidas e este texto me deixa claro que Pedro aprendeu a buscar em primeiro lugar os interesses do reino de Cristo em sua vida. Quando fazemos isso tornamo-nos íntegros e engrandecemos a Cristo! É a Ele que exaltamos e servimos. Prestamos contas a uma autoridade superior às pessoas: “você não mentiu aos homens” disse Pedro a Ananias, “mas sim a Deus!” Antes de pensar que a punição foi injusta, lembre-se de que Deus é Santo e para Ele o pecado é muito grave. Em nossa cultura pós-moderna, na qual a importância do pecado é minimizada, onde Deus é humanizado e o homem é deificado, não me surpreende quando sou questionado como pastor por alguns que me perguntam quando algo acontece em suas vidas que não os agrada: “Como um Deus santo e amoroso pode fazer uma coisa dessas?” Amados, me deixa dizer algo aqui: Deus leva a sério assuntos que envolvem honestidade e integridade. Será que temos nos esquecido disso? E não pense, nem por um minuto, que o fato de um cristão não cair morto imediatamente após pecar, seja indicação de que Deus faz vista grossa ao pecado em nossas vidas. Deus continua disciplinando Seus filhos, porém, a Seu modo e no tempo certo (2Pedro 3.9). Atualmente, há gente demais se espelhando em pessoas de menos em questões de integridade. Amados, não encontro palavras para descrever como é importante a nossa integridade pessoal! Como discípulos de Cristo, não podemos agir de modo irresponsável com nosso dinheiro e esperar que isso não traga nenhuma consequência. Nosso dinheiro pertence a Deus. Também não podemos agir de modo irresponsável com nossa moralidade. Um discípulo de Cristo não pode ser promiscuo e escapar das consequências de seus atos alegando ser “cristão.” Há um preço terrível a pagar, pois Deus considera Seu povo responsável por seus atos. Não pertencemos a nós mesmos. Lembre-se: PRESTAMOS CONTAS A DEUS, NÃO AOS HOMENS! Sua integridade pessoal não é assunto de foro intimo, uma vez que, como cristão, você é representante do reino de Cristo. Você vive para honrar o nome d’Ele e a reputação de Sua igreja. Não é possível transigir sobre sua integridade sem causar prejuízo aos demais. É preciso ter em mente que a igreja é um corpo, e sendo assim, se uma parte sofre, todos sofrem. Amados, ao confiarmos com temor e tremor em um Deus santo, você passa a observar cuidadosamente seu estilo de vida! Você assume o propósito de buscar os interesses do reino de Deus, antes do seus interesses, o que no fim das contas é melhor para você.
Concluindo, como podemos ver no texto de Atos 5, o próprio Deus resolveu a questão da falta de integridade, tirando a vida daqueles que transigiram. Essa disciplina divina, ao invés de dividir a igreja, tornou o corpo de Cristo mais unido e operante por meio de um intenso temor a Deus e ódio ao pecado. Tudo isso que falei me faz refletir sobre como em nosso testemunho diário precisamos de integridade em nossas ações e reações. Lembre-se das palavras de Pedro em Atos 5.29: “Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.