"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



terça-feira, 1 de abril de 2014

O derramamento do Espírito Santo

Outro dia me veio um pensando se hoje em meio a tanta maldade e descrença seria possível o Senhor enviar um derramamento do Espírito Santo para nós? Como seria possível ver a manifestação da gloria do Pai em meio a tanta impiedade. Comecei a orar sobre este peso e o Senhor me trouxe a memoria todas as maravilhas que Ele fez em minha vida, experiências vividas em meio a minha caminhada cristã e no mesmo instante meu coração se encheu de alegria e minha alma se renovou no Senhor. Que coisa tremenda é ver a mão do Senhor agindo através de nossa vida, porem o Senhor me fez lembrar de um texto que Paulo fala aos coríntios sobre a necessidade de vivermos uma vida cristã coerente com nossa conduta: 2 Coríntios 3.13   “E não somos como Moisés, que punha véu sobre a face, para que os filhos de Israel não atentassem na terminação do que se desvanecia.” Foi neste momento que comecei a refletir de como corremos o risco de viver uma vida de aparência e de como o Espírito Santo fica impedido de se manifestar em nossas vidas.
PRECISAMOS TIRAR O VÉU!
Existe um perigo rondando nossas vidas nestes dias, precisamos estar atentos para não cairmos no erro de querer viver a vida cristã de aparências, presos a experiências do passado. Não podemos mais viver com um véu em nossas vidas, pois o véu esconde ou encobre a nossa verdadeira situação, ou tentar disfarçar as verdadeiras atitudes de nossa alma. Eu sei que são importantes as experiências que vivemos no passado, são marcas em nossas vidas, Moisés estava tentando passar uma imagem que na verdade não existia mais, ele estava tentando fazer as pessoas ver nele algo que por baixo do véu não existia mais.
Houve um momento na vida de Moisés em que Deus se revelou e ele foi cheio da glória do Senhor, foi um tempo glorioso em sua vida, quando ele desceu do monte o seu rosto estava brilhando. O fulgor da glória do Senhor resplandecia em sua face. A glória de Deus estava estampada em seu rosto e ninguém podia olhar para ele por causa do intenso brilho de sua face. Então Moisés colocou um véu sobre seu rosto, para que as pessoas pudessem se aproximar dele. Porem com o tempo, o brilho da glória do Senhor foi desvanecendo e acabando. Mas Moisés não tirou o véu, ele não queria que as pessoas soubessem que a manifestação da glória do Senhor tinha sido transitória e o seu rosto não brilhasse mais. Não podemos viver demonstrando ser uma coisa que na verdade não somos.  O véu disfarça, esconde e separa. Muitas vezes nós também tentamos esconder nosso fracasso espiritual, nossa mornidão, nossa vida sem oração e leitura da palavra. A vida cristã deve ser um continuo remover do véu. Assim como Moisés escondeu sua glória apagada através do véu, assim também escondemos quem nós somos atrás de experiências do passado, sem perceber estamos colocando um véu em nossas vidas. E hoje, em Cristo precisamos remover todo véu de nossas vidas.
Existe o véu da piedade e Paulo nos ensinando sobre a doutrina da nova graça, diz que podemos ser ousados e não agir como Moisés, que pôs um véu sobre a face para que as pessoas não percebessem que a glória do Senhor não brilhava mais em sua vida. Houve um momento na vida de Moisés que ele percebeu que a glória do Senhor não brilhava mais, ele não precisava mais usar o véu, podia ser ele mesmo em meio aos irmãos, porém ele continuou, ele não queria que soubessem que a glória de Deus não brilhava mais. Muitas vezes somos parecidos com Moisés. Tentamos impressionar as pessoas com uma espiritualidade que não temos. Aparentamos ser mais crentes e mais piedosos do que realmente somos. Para ostentar essa pretensa espiritualidade, colocamos um véu da piedade e usamos um linguajar cheio de chavões espirituais, nossos lábios proclamam muitas palavras bonitas, mas nosso coração esta longe de Deus. Em meio aos irmãos fazemos orações cheias de emoção, mas em secreto nosso coração está vazio e seco.
Ananias e Safira, usando o véu da piedade, porém com o desejo do aplauso humano, entregaram uma oferta aos pés dos apóstolos, mas com uma mentira no coração. O verdadeiro desejo de seus corações não era os necessitados e com o coração longe de Deus ousaram mentir para o Espírito Santo. Como podemos querer o derramamento do Espírito Santo se não nos consagrarmos a Ele? Precisamos ter sede de Deus, buscar de todo o coração.
Deus quer derramar do seu Espírito constantemente em nossas vidas!  
“Porque derramarei água sobre o sedento e torrentes, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes; e brotarão como a erva, como salgueiros junto às correntes das águas.” (Isaías 44.3-4).   
O derramamento do Espírito Santo é uma promessa de Deus para nós! Deus prometeu derramar o seu Espírito sobre nós. Quando Deus promete, Ele cumpre, pois Ele vela por cumprir Sua palavra (Jeremias 1.12). Por isso, amados, precisamos desejar constantemente a presença do Espírito Santo em nós. A água vem sobre o sedento, e as torrentes sobre a terra seca. Quando tivermos sede de Deus como a terra seca anseia por água, então experimentaremos o derramamento em nossas vidas. Se quisermos ver o agir de Deus em nós, precisamos buscar, desejar ardentemente a manifestação da glória do Pai em nossas vidas. Concluindo, o agir de Deus em nós produz resultados extraordinários! Os dois textos que lemos confirmam esta verdade: Isaías 44.4 diz que frutos serão colhidos através desta disposição de nosso coração: “...e brotarão como a erva, como salgueiros junto às correntes das águas.” e 2 coríntios 3.17-18 diz:  “Ora, o Senhor é o Espírito; e, onde está o Espírito do Senhor, aí há liberdade. E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito.”
Quando o Espírito Santo age através de nós coisas extraordinárias acontecem, passamos a ser cheios do Espírito Santo, então falamos, vivemos e demonstramos a gloria de Deus em nós!