"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



segunda-feira, 4 de agosto de 2014

O crescimento natural da igreja

“...acrescentava-lhes o Senhor, dia a dia, os que iam sendo salvos.” (At 2.47).
A igreja é um organismo vivo e sendo assim seu crescimento acontece de forma natural. Porém, há um perigo na busca do crescimento, pois podemos pecar na idolatria dos números e errar ao ter medo dos números. Por isso, é importante buscarmos um crescimento saudável do corpo de Cristo. Um crescimento que traz glória ao nome de Deus, edificação para a igreja e conversão dos perdidos. 
Gostaria de destacar alguns aspectos acerca deste crescimento saudável do corpo de Cristo: 
1. Esse crescimento é espiritual
No livro de Atos no capítulo 2 versos 42 ao 47, podemos entender esta dinâmica acerca do crescimento espiritual. O crescimento espiritual deve acontecer antes do crescimento numérico, pois ele deve ser fruto de uma igreja que vive a presença do Espírito Santo. Há um perigo de haver muita adesão e pouca conversão. Muito ajuntamento e pouco quebrantamento. Muita religiosidade e pouca espiritualidade verdadeira. 
Precisamos urgentemente da graça e manifestação do Espírito Santo para nos levar a amar a Deus sobre todas as coisas.  Sermos um povo comprometido com a palavra de Deus e Seus ensinos. Uma igreja que ora com fervor e evangeliza com alegria e responsabilidade com os perdidos. Não podemos buscar ao Senhor somente por Suas bênçãos (prosperidade e sucesso), mas precisamos buscar o conhecimento de Deus.
2.    Esse crescimento é fraternal
“E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.” (At 2.42). A igreja precisa crescer em comunhão, pois somos uma família e membros de um só corpo (Ef 4.1-6). Precisamos estar ligados uns aos outros pelo vinculo do amor. Não existe discípulo isolado do corpo. Não podemos viver isolados uns dos outros, por isso precisamos viver em comunhão, sendo uma família de muitos filhos semelhantes a Jesus! Precisamos estar envolvidos uns com os outros, exercer o dom que Deus tem capacitado a cada um para edificação do corpo de Cristo (Ef 4.7-16).
Somos um exército e não soldados isolados. Somos uma família e não membros solitários. Somos um rebanho e não ovelhas desgarradas. 
Necessitamos amar uns aos outros, servir uns aos outros, encorajar uns aos outros, pois somos conhecidos como discípulos de Cristo. O amor de Jesus precisa ser demonstrado em nossas vidas, pois o amor é a maior evidência de que somos, de fato, discípulos de Cristo (Jo 13.34-35).  
O amor fraterno transforma vidas, se torna uma porta aberta para o evangelismo. Quando as pessoas vêem na igreja a realidade do amor de Deus, elas vão se sentir atraídas a conhecer deste amor. Quando olhamos para cima e vemos a graça soberana do pai, olhamos com temor para dentro de nós e permitimos que o Senhor transforme nossas vidas para sermos testemunho as nações.
3. Esse crescimento é numérico
Não podemos medir a saúde espiritual de uma igreja apenas pelo numero de membros, mas pela sua fraqueza evangelística e falta de crescimento. Não existe fidelidade estéril. Uma igreja saudável cresce natural e numericamente, pois sabemos que é o Senhor que acrescenta os que vão sendo salvos (At 2.47).
Deus abre os corações e dá o arrependimento para a vida e a fé em Cristo. Porém, a igreja que semeia com lágrimas volta com jubilo trazendo os seus feixes. A igreja que prega a palavra do reino de Deus com fidelidade e vive em santidade receberá do Senhor a recompensa. Não podemos colher aquilo que não semeamos. Não podemos ver pessoas salvas se não evangelizamos. Não podemos nos alegrar com os frutos do nosso trabalho se não nos dedicarmos na obra. Todo aquele que foi alcançado pelo evangelho tem um compromisso com ele: “Ser um arauto das boas novas”, pois fomos chamados do mundo e enviados de volta a ele como embaixadores de Cristo e ministros da reconciliação!  
Concluindo, não podemos ficar indiferentes diante da mensagem do evangelho. Chegou a hora de nos levantarmos no poder do Espírito Santo para sermos um vaso nas mãos de Deus para cooperarmos com o crescimento numérico da igreja. Pois a igreja precisa crescer de forma: Espiritual, fraternal e numericamente.
No amor de Cristo
Chico.