"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Pastoreamento

“Rogo, pois, aos presbíteros que há entre vós, eu, presbítero como eles, e testemunha dos sofrimentos de Cristo, e ainda co-participante da glória que há de ser revelada...” (1 Pedro 5.1).
Pedro faz um apelo à liderança. Em tempos de sofrimento e perseguições, como lideres precisamos estar alertas. Precisamos conduzir a igreja por esse vale de dor e ser modelos do rebanho nesta fornalha ardentes.
A natureza do apelo: A palavra grega parakalo, traduzida por “rogo” vem de parakletos que é “consolador”. Trata-se de um apelo intenso, veemente, urgente, porém regado de ternura. Neste gesto Pedro está nos ensinando algo importante aqui, mesmo em sua posição de autoridade como apostolo ele não manda, mas roga. Demonstrando a característica de um líder, que tem sua autoridade reconhecida e não por autoritarismo.
Destinatários do apelo: Pedro roga aos lideres que estavam a frente do rebanho. Pedro sabia e respeitava a responsabilidade destes homens em cuidar do rebanho. Pedro sabia que eles é quem cuidava do rebanho, protegendo-as dos perigos e alimentando-as.
Vs. 2-3: pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes, tornando-vos modelos do rebanho.
Nestes versos Pedro faz três observações importantes na tarefa de liderar pessoas:
1. Não por constrangimento, mas espontaneamente: O líder não é o dono das ovelhas, não podemos nunca nos esquecer que o rebanho é do Senhor. Mas o Senhor nos orientou a alimentar, proteger e conduzir as pessoas a Cristo. Pedro esta dizendo aqui que a liderança no corpo de Cristo não é algo imposto pela força, mas é algo voluntario. Existe também a questão de fazer a obra do Senhor de qualquer jeito, é necessário nos prepararmos para trazer ensino, direção e a visão correta acerca do reino de Deus aos irmãos. Por isso é necessário nos prepararmos.
     2. Não por sórdida ganância, mas de boa vontade: Como lideres precisamos exercer o serviço entre os irmãos. Devemos visar a glória de Deus e o bem das pessoas que cuidamos. Ensinar com o exemplo.
      3. Não como dominadores, mas como modelo: Por meio do Espírito Santo temos recebido autoridade para liderar pessoas, mas não podemos fazer mau uso desta autoridade. Como líder preciso ser um modelo para os irmãos, estamos a frente para mostrar o caminho aos irmãos. Jesus ensinou que o modelo de liderança é o serviço. (Jo 13.4-5).
      Concluindo, todo nosso trabalho será recompensado: “Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imarcescível coroa da glória.” (vs.4). Todo líder que serve ao Senhor com fidelidade tem a promessa de que, quando Jesus voltar, em majestade e glória, receberão de suas mãos a coroa da gloria. Pedro cita aqui uma coroa como de um atleta que recebe ao final de sua conquista. A coroa de um líder fiel é uma coroa de glória, uma coroa imarcescível. A Bíblia cita algumas coroas que eu gostaria de destacar aqui:
     a. Coroa da alegria: Pois quem é a nossa esperança, ou alegria, ou coroa em que exultamos, na presença de nosso Senhor Jesus em sua vinda? Não sois vós?” (1 Ts 2.19),
     b. Coroa da justiça: Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda.” (2 Tm 4.8).
     c. Coroa da vida: Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam.” (Tiago 1.12) e “Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.” (Ap 2.10).
     d. Coroa de glória: “Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imarcescível coroa da glória.” (1 Pe 5.4).
      Creia haverá ampla recompensa da parte de Cristo para aqueles que servirem com fidelidade e amor. Paixão pela obra!