"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



segunda-feira, 6 de maio de 2013

Uma herança gloriosa


A salvação planejada na eternidade e realizada progressivamente em nossa caminhada cristã aponta para uma recompensa futura. Pedro escreve: “Para uma herança incorruptível, incontaminável, e que não se pode murchar, guardada nos céus para vós...” (1Pe 1.4). Os discípulos de Cristo, chamados eleitos de Deus, remidos pelo sangue, santificados pelo Espírito e regenerados para uma viva esperança, têm a promessa de uma herança gloriosa. Segundo Pedro, podemos ver no versículo acima, quais são as características dessa herança que esta reservada nos céus para os salvos:
É uma herança incorruptível
A palavra “incorruptível” no grego é afqarton / aftharton, significa algo que não perece, não apodrece, não se deteriora. Podemos entender aqui, que a palavra incorruptível no original nos dá a ideia de não conter sementes em deterioração, algo que não está contaminado. Podemos entender ainda, que é algo que não foi assolado por nenhum exército inimigo.
É uma herança imaculada
Imaculada, do grego amianton / amianton, traduzida por sem mácula, incontaminável, que significa algo absolutamente limpo, sem nenhum tipo de sujeira ou de contaminação que possa levar a uma posterior degeneração.
É uma herança imarcescível
A palavra grega amaranton / amaranton, traduzida por imarcescível, significa inalterável. É mais aplicada a coisas da natureza, representando na poesia “uma flor que nunca murcha nem perde a sua beleza.” Em vez de murchar, ela permanece num frescor perpétuo, que nunca se deteriora quanto ao seu valor, graça e beleza. Sendo assim, nossa esperança não é vaga e incerta, mas definida e garantida em Cristo Jesus, pois, aquele que começou a fazer a boa obra em nós há de completá-la até o dia final (Fp 1.6).