"Cristãos na teoria nem sempre são
discípulos na prática"



sábado, 1 de junho de 2013

A verdadeira espiritualidade

“E, chamando outra vez a multidão, disse-lhes: Ouvi-me vós, todos, e compreendei. Nada há, fora do homem, que, entrando nele, o possa contaminar; mas o que sai dele isso é que contamina o homem. Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça.” (Marcos 7.14-16).
É muito importante observarmos o ensino que Jesus está transmitindo neste texto do evangelho de Marcos, duas verdades são destacadas pelo Senhor:
Em primeiro lugar, a contaminação vem de dentro e não de fora (vs.15). A verdadeira espiritualidade não é um ritual nem mesmo um cerimonial, mas procede da sinceridade do nosso coração. Podemos ver que Jesus coloca algumas implicações: a) Jesus rejeita a ideia de que o homem é produto do meio. O mal não vem de fora, mas de dentro. O mal não está no ambiente, mas no coração. Jesus em sua sabedoria divina revela a maldade inerente do ser humano. b) Jesus refuta a ideia de que o ritual externo pode nos tornar agradáveis aos olhos de Deus. Lavar as mãos ou purificar utensílios domésticos não nos torna limpos aos olhos de Deus. Deus não atenta para a aparência, mas vê o coração. Ele busca verdade no intimo.
Em segundo lugar, em vez de purificações cerimoniais devemos afiar nosso entendimento e nossos ouvidos (vs. 14 e 16). Em vez de sermos prisioneiros de um farisaísmo legalista, Jesus nos exorta a termos uma espiritualidade que é governada pelo entendimento da verdade de Deus. Jesus dá ênfase a necessidade de ouvirmos e compreendermos seus ensinos. 
Concluindo, não podemos seguir interpretações enganosas, antes devemos inclinar nossos ouvidos a palavra de Deus.